quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

The first time II




Já descrevi com o outro post, a situação que desencadeou a vontade que deu à “wolfpack” da minha juventude, a iniciativa de tomar medidas drásticas!
Aquela festa de aniversário acabou por ser a gota de água, para se resolver de uma vez o “problema” que nos afligia tão seriamente...
Quando se é jovem, todo o problema significa o fim do mundo!

Assim, juntos consertamos um plano para entrar-mos à valente no mundo dos Homens, irmos ter com aquelas que realmente sabem ensinar, detêm experiência, não possuem tabus, sendo que o resultado é garantido, sem falha!
Exatamente, estão a imaginar corretamente, estávamos a planear ir às prostitutas...
Imagine-se um grupo de adolescentes, enraivecidos com o comportamento das “amigas”, decidem aprender a valer! Oh yeahhhh!

Primeiro passo descobrir a “oferta”, não éramos clientes frequentes logo tínhamos que nos consultar com quem soubesse, pelo que nos foi indicado por um amigo uma senhora muito interessante que tinha o “estaminé” montado algures no meio de uma mata, devia ser pelos ares mais benéficos para a saúde...
Assim organizamos uma espécie de excursão e lá fomos todos ter com a senhora, que por acaso era um deslumbre de mulher!

A mesma apresentava-se como sendo uma jovem dos seus 20 e poucos anos, de estatura média, bem feita de corpo, loira, muito bonita, hum... aquilo prometia!
Estávamos a chegar ao “estaminé” e a senhora a receber uma chamada que presumo agora ter sido do “patrão” da mesma.
Até ai tudo bem, o H. lá foi à vida dele lá para o meio dos eucaliptos com a senhora enquanto nós ficamos no carro à espera.

Mas! Tinha que acontecer um mas... Enquanto esperava eu repararei que lá ao longe, uns gajos estavam a sair do carro para irem à mala do carro buscar uns simpáticos tacos de baseball...
Ora escusado será dizer que isto me tirou a “tesão” toda... Porra, isto já começava a ser complicação a mais para se perder a virgindade!
Nós claro, muito aflitos por causa do H. estar no meio do mato com a senhora e aqueles artistas a entrar para lá, sabe-se lá com que intenções.

Passado um pouco, vemos o H. a correr do mato todo atrapalhado, entrando no carro a mandar vir com ele próprio, mais ou menos deste modo - “Car###o! Que f###a da p##a de sorte a minha!”
Arrancamos assim a modos de uma cena do Fast and the Furious, em grande aparato, com direito a pião, gravilha pelo ar e tudo mais, enquanto lhe perguntávamos se estava tudo bem, se estava magoado e o que tinha acontecido.
Ao que ele nos diz que já estava todo entretido com ela a “bufar ao balão” quando de repente os gajos o puseram a correr de lá para fora, por pensarem que era esquema nosso, afinal com uma excursão daquelas também não admirava!
A risota foi geral, afinal o H. continuava virgem...

Exatamente, ainda não foi neste capitulo que perdemos a virgindade... Digam lá se não é algo irreverente?


Fox

Sem comentários:

Enviar um comentário