sábado, 2 de junho de 2012

I am wild


 
Selvagem. Serei. Seremos. Todos. Nós.

Ou apenas alguns?
Sempre tive em mim a noção, de que o amor não é civilizado.
Não possui regras pré-estabelecidas, que definam como se deverá regulamentar a fusão de dois amantes.

Não existem limites para a entrega.
Não existem limites para o contacto.
Não existem limites para a loucura.

Mas então, qual a melhor forma de expressar este sentimento cru, do que o pintar de forma selvagem?
Usando fluídos como tintas, dedos como pincéis, pele como tela, onde rudemente dois corpos se entrelacem, não sabendo onde termina um e começa outro, imortalizando momentos na efémera eternidade da memória.

Recordando agora o que um dia me disseram...

"Que sejamos sempre recordados por quem amamos, como os loucos que deram sem medidas"
 
Selvagem. Rude. Intenso. Puro.
Sou.


Fox

2 comentários:

  1. Perfeito.

    Só quem vive/sente realmente assim é que poderá dizer que amou.

    Racionalizar e regrar o amor, tira-lhe toda a sua essência.

    Mais um excelente texto* :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Yellow_B.
      Realmente não podem existir regras racionais no amor, muito menos na forma de entrega.

      Eliminar