segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Dry ink

Se fosses feita de tinta diria que eras uma tatuagem.

Feita numa época perdida lá longe no passado, onde reinavam a pura alegria e a jovial inocência.

Profundamente cravada na carne que existe debaixo da pele tocada por muitas depois de ti. Nada apaga o teu toque, marcado como agulha que violentamente rasgou a pele deixando traços de escarlate sofrimento.

Seria de esperar que o tempo levasse a tua cara, o teu corpo, o teu pensamento, quando te esqueci. Mas não levou. Não leva. Será que irá levar?


Fox

2 comentários:

  1. Gostei, muito...
    Já tive um pensamento que é capaz se tocar esse. Já pensei que se a pele ficasse marcada como um dia ele me pediu, a marca bem lá dentro dispensaria... não resultou, ficou apenas tatuado dentro e fora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A marca interior será sempre a mais difícil de apagar. Por vezes nem o tempo a consegue "levar".

      Eliminar