segunda-feira, 13 de maio de 2013

Crowd


A noite abre-se a todos fria e escura. A música bate forte e elétrica formando um ambiente quente e apoteótico. Observas com atenção tudo o que se passa mas não participas. Não existe a presença daquele “click” que te leve a libertar a euforia contida. Como se fosse resultado de uma distância longínqua de contextualização. A multidão engole-te mesmo quando não o desejas, tornando-te pequeno e apertado. Aqui estás acompanhado por todos mas na realidade estás só. Falta-te o elemento que a tudo traz sentido…
Aos outros não falta e entendes o significado da exaltação que libertam. A lógica ilumina-se deste modo na tua cabeça no mesmo instante em que te apercebes ser um domínio sobre o qual não possuis controlo. Cabisbaixo e conformado te recolhes a ti mesmo.
Levantas os braços abertos e soltas as letras que gravadas na memória se encontram há muitos anos. Sozinha, a tua voz abafa a de outros.


Fox 

2 comentários:

  1. Gostei deste testo, bastante intenso!!
    Parabéns:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Quando me Deito. (awkward...)
      As realidades que a vida nos traz são tão mais simples de ser fixadas pela escrita...

      Eliminar