segunda-feira, 22 de julho de 2013

Gear

Já me questionei acerca da razão que me faz observar cada uma das faces femininas que encontro por essas frias ruas onde deambulo. Desse modo sou projectado para o campo do imaginário, pois supor que algum dia olho nos olhos de uma e vejo o que nunca vi, será no mínimo rocambolesco e ate mesmo fútil. 

Isso não existe, não aqui no mundo real. Esta realidade que habitamos é fria como o metal e funciona ciclicamente como um motor. As engrenagens que colocam este sistema em funcionamento possuem nelas cifrões gravados. Profundas gravações em engrenagens musculadas e de perfeito desenho. A falha não atrai o menor interesse, nem a diferença do igual encanta pela originalidade.

Então afinal que procuro eu quando olho?


Fox

6 comentários:

  1. Procuras o mesmo de muitos de nós...
    ou melhor temos a esperança que um simples
    olhar nos cative, prenda e nos faça saber mais e mais.

    Andorinha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas se a experiência de vida me diz que tal não acontece, que procuro eu?

      Eliminar
    2. Simplesmente não procuras!!
      Mas no teu intimo,esperas apenas que algo aconteça...
      Mau seria se não se tivéssemos as esperança de
      um dia sermos positivamente surpreendidos pelo cupido.

      Eu tenho 39 anos e continuo a acreditar que um dia
      alguém me vai causar borboletas na barriga e batimentos
      cardíacos tão rápidos que me faça cometer imensas
      loucuras (saudáveis )

      Kiss:)


      Andorinha

      Eliminar
    3. Talvez a esperança seja mais difícil de eliminar do que se esperaria.

      A idade é um mero numero, nada significa, nada impede. Agora é que vais começar a viver... ;)

      Eliminar
  2. casa, procuras o olhar que te faça sentir ; cheguei a casa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hum... Curiosa forma de colocar a questão.

      Eliminar