quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Size, matter?!



Li e passo a citar: "Eu terminei com ele apenas por um motivo: o pénis dele era demasiado pequeno."

Que tempo são estes em que as mulheres nos descartam com base em juízos acerca de dimensões corporais?! Aspectos completamente fora do nosso controlo e sem possibilidade de alteração. Que é feito do sentimento, da atracção, da personalidade, das características individuais?

O rumo que as fêmeas desta geração levam, aponta para uma faceta completamente materialista e ausente de emoções. Escolhem-nos pelo extracto bancário, pelo carro, pela casa, pelo status, pelo tamanho...

Sinceramente começa a ser deprimente esta nossa posição na sociedade. Suspeito que devemos ter o "ritual de acasalamento" mais exigente de todo o reino animal! Quando apenas queremos encontrar o sentimento que nos faça sentir e levar a dar o melhor de nós mesmos.


Fox

18 comentários:

  1. Fox, a maturidade é algo que se cultiva... nada tem a ver com geração ou género :).
    Posto isto, pessoalmente, não ajuízo a regra pela excepção.

    xi. para ti :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, a maturidade "costuma" chegar com a experiência de vida, no entanto, ultimamente as regras do jogo tem vindo a mudar drasticamente. Parece-me que temos vindo a ser "seleccionados" com base em rótulos absurdos.

      Por vezes apetecia-me entrar numa maquina do tempo e voltar atrás. Muito atrás...

      Eliminar
  2. O mais estranho não é ter terminado, é ter sequer começado... Para que servem os "test-drive"?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os "test-drive´s", Ana? Gostei da simbologia...
      Mas então de algum modo concordas com a autora?

      Eliminar
    2. Um amigo meu costumava dizer que uma relação é 50% amor, 50% sexo. Se falta uma metade, nem vale a pena tentar.
      Creio que foi o que se passou com a autora. Se não estava satisfeita sexualmente com o parceiro, nem devia ter começado a relação "a sério", para não magoar os sentimentos do outro.

      Eliminar
    3. Entendo o ponto de vista. Tem uma certa lógica. Mas não sei se colocava com uma ponderação tão elevada. Pois entendo que com amor ainda se podem tolerar algumas falhas. Enquanto apenas com o sexo não se tolera nada...

      Eliminar
    4. Achas que com amor se pode tolerar a falta de satisfação sexual?

      Eliminar
    5. Com amor podem-se procurar outras formas de satisfação sexual.
      Existem tantas maneiras de levar uma mulher ao êxtase... ;)
      Em muitas delas nem é necessário usar o "material", seja ele grande ou pequeno.

      Eliminar
  3. É o reflexo de relacionarmo-nos com os outros não pelo seu todo mas por determinado detalhe que as pessoas tenham.
    Ando com X porque ele/ela é rico se fica pobre, vou embora
    Porque é belo/a ,se fica feio, vou embora
    Porque é gordo/magro, se o corpo muda vou embora
    Porque tem um bom trabalho, se perde o emprego vou embora
    Porque o seu penis é grande ou a sua vagina é pequena, se isso não acontece, vou embora.

    É tudo aos bocados, e é tudo sob a premissa de que, aquela pessoa está aqui para me servir e é aquele detalhe que me vai servir, se aquele detalhe que eu necessito nesta altura da minha vida não existir, então nada mais do outro interessa.

    Isto é absurdo e muito agressivo, percebo a funcionalidade da coisa, mas é só isso, é funcional, mais nada. Estamos a ser cada vez mais crueis uns com os outros e a ressentir-mo-nos disso. Ficamos todos a perder.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora nem mais, era mesmo ai que queria chegar. Para quê se dão as pessoas ao trabalho de ter relações quando são para estas brincadeiras?
      Depois disto quem até é sério e defende outros valores, mantém-se à margem e prefere nem tentar nada, pois nunca sabe que género de mulher lhe aparece.

      Eliminar
  4. "Que tempo são estes em que as mulheres nos descartam com base em juízos acerca de dimensões corporais?! (...) Sinceramente começa a ser deprimente esta nossa posição na sociedade."

    Esclareço que abomino (reitero, abomino!) qualquer pseudo-guerra dos sexos, o que for. Mas acredita que isso que tu/vocês homens se começam a queixar é o "pão nosso de cada dia" de uma mulher, aquilo que ela sente por parte de um homem. E não, não estou a exagerar.


    "Escolhem-nos pelo extracto bancário, pelo carro, pela casa, pelo status, pelo tamanho."
    Acho que sinceramente o grande problema actualmente é que as mulheres começaram a mudar as regras do jogo (o que não significa que eu as siga).
    Passo a explicar: esses critérios de escolha são usados por grande, mas mesmo grande, parte dos homens. O que eu observo é que as mulheres o começaram a fazer também. E o problema dos homens é que perderam algo que até então era exclusivo deles. E isso faz-lhes confusão ou, pelo menos, não sabem como mudar novamente essas regras.

    Pessoalmente, este segredo, como em tantas outras situações (sobretudo as presentes no shiuuuu), é apenas o reflexo de uma sociedade podre, em que as pessoas se tratam como objectos e se guiam pelos seus interesses egoísticos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não digo que exageres. Eu nunca as avaliei por tais critérios. Para mim a pessoa é um todo, ou "levamos tudo" ou não se "leva nada".

      Os homens a seleccionar pela condição financeira ou outro aspecto dessa ordem?! Nisso não concordo. Quase me atrevia a perguntar com que homens tu te dás...

      Concordo plenamente, a sociedade está em decadência dos seus valores éticos e morais. Não mais seremos pessoas aos olhos de terceiros, meros utensílios.

      Eliminar
    2. Lol não, eu é que me pergunto que homens é que tu conheces (mas ainda bem para ti). Relaciono-me com eles no sentido em que são amigos de amigos ou amigos de primos, por exemplo. E gosto muito de ouvir as conversas entre eles. Acredita que, na condição de mulher (solteira) que as ouve, acaba por ser absolutamente assustador.

      Mas sim, cada vez mais conheço homens que procuram uma mulher bonita (para mostrar) e rica. A condição financeira, por aquilo que me apercebi, acaba por ser aferida em função de saber se ela é filha única ou não e saber a profissão dos pais e quais os bens que têm (em que casa moram, se têm casa férias, empresas, onde passam férias, etc.). É o mundo lá fora. Um lugar podre e assustador.

      Claro que isto não é uma característica exclusiva de um dos sexos. Mau era se não existissem exceções. A verdade é que a generalidade das pessoas acha que as mulheres são intrinsecamente interesseiras. Elas é que procuravam maridos ricos, eram caça dotes... mas a verdade é que me apercebo que hoje, cada vez mais, os homens fazem o mesmo.

      Eliminar
    3. Só tenho amigos fora de série, tal como eu... :p
      Sinceramente não conheço aqueles que ajam dessa forma.

      À luz dos recentes acontecimentos, sou levado a crer que as mulheres são mesmo na sua generalidade materialistas e oportunistas.

      Antes sozinho que mal acompanhado. Eu bem que defendo e sigo esta politica.

      Eliminar
    4. "Só tenho amigos fora de série, tal como eu... :p Antes sozinho que mal acompanhado."

      Não será por falta de publicidade. loool
      Apenas concordo que, na generalidade, as pessoas (homens e mulheres) estão demasiado oportunistas... mas também vivemos numa época em que o que importa é ter e não ser. Resta-nos depositar a esperança nas exceções.

      Eliminar
    5. Eu sei o que sou, se fizer um pouco de publicidade não me prejudico, pois não fico aquém das expectativas.

      Sim, concordamos os dois nesse aspecto. Ultimamente a massa crítica se tem tornado por esta ou aquela razão, muito oportunista.

      O problema é as exceções serem tão poucas...

      Eliminar
  5. Boa noite Fox,
    conheci o seu blog através do Shiuuu e posso dizer que fiquei deliciada com os seus posts (gostei particularmente dos seus contos eróticos, pois adoro esse tipo de literatura e você escreve muito bem), isto não desfazendo dos restantes posts!
    Em relação a este post, na minha opinião, o tamanho não deveria importar, já que há coisas tão mais importantes que isso (o amor, o carinho, a cumplicidade entre o casal e as próprias características individuais de cada um, como referiu)...se houver amor tudo se ultrapassa e o tamanho não importa, há tantas maneiras que o casal pode explorar que podem até dar mais prazer a ambos.
    Deixo um beijinho de boa noite
    Ângela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, fico feliz quando sei que as minhas palavras agradam.

      Partilhamos da mesma opinião então. Creio que com sentimento algumas "falhas" conseguem ser ultrapassadas. Uma das partes mais interessantes da vida deve ser essa, conseguir ver para lá do negativo.

      Sê bem vinda, Ângela. ;)

      Eliminar