quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Gift of happiness


Por vezes questiono-me acerca do que realmente representa o Natal para as pessoas. Se uma mera exposição de materialismo e consumismo desenfreado ou estima por valores emocionais e signo de aproximação familiar. Quando se chega a esta época do ano, gosto sempre de avaliar o comportamento que os outros apresentam comigo, pois a exposição dos seus comportamentos diz muito acerca das suas naturezas.

No final, caem as máscaras e vemos que entre muitos estamos sós. Daí nasce a convicção de que a felicidade nasce em nós mesmos e nunca na interação com terceiros. Quanto muito, esses podem amplificar aquela que criamos em nós mesmos.

Viver por nós e para nós. Partilhando um pouco com os poucos que nos estimam e rodeiam. Simples assim.


Fox

6 comentários:

  1. O Natal ...gostava muito do natal, mas quando perdemos os pilares
    que nos ajudaram a ser o que somos hoje, as coisas tornam-se
    difíceis de gerir!!

    Quanto ao teu post, eu acho que as verdadeiras máscaras, caem
    quando nós passamos por situações difíceis, pois é aí que as
    pessoas se revelam.
    Feliz daquele que é amigo, sem esperar nada em troca!
    Enfim ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caem quando não existem interesses materiais em causa. Quando apenas existe a hipótese de valorizar o gesto é que a natureza se revela.
      Cada vez me aprecio mais e aos meus valores. Pena sentir que estou(amos) em vias de extinção.

      Eliminar
    2. Hoje lembrei-me tanto, mas tanto das tuas palavras neste post.

      Realmente nem todos sabemos o significado da palavra amigo(a)
      Hoje levei um balde de água fria que nem estou em mim...
      Bom fim de semana :)

      Eliminar
    3. Infelizmente nem todos o sabemos, apenas pensamos que sim. Abençoado aquele que verdadeiros amigos tiver.

      Eliminar
  2. Bom dia Fox!
    Para mim o Natal nunca significou grande coisa, era mais um dia que estava com a família e que passava a correr e depois puf lá foi o natal.
    Agora, longe, senti imensa falta daquele dia em família. Chorei de saudade o dia 24 todo, até ter a melhor prenda de natal possível, a vinda de 3 pessoas da minha família muito especiais para mim aqui. Ainda não estive com eles devido ao tempo não possibilitar que os transportes públicos, nomeadamente comboio, funcione, mas estarei o mais breve possível. Esta sim foi a melhor prenda, saber que se lembraram de mim e que fizeram tudo para que eu não soubesse e fosse surpresa.
    Se me perguntares que se de resto foi um bom natal? Sim foi, entre amigos que estão todos longe da família, e que nos apoiamos uns aos outros. Planeamos todos como é que iria ser a ceia da véspera de natal, cada um com uma especialidade da sua zona de Portugal.

    Beijinhos e se não falarmos antes Boas entradas no ano que aí está à porta ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estar longe da família é sempre complicado para se conseguir gerir as emoções associadas a épocas características como o Natal, porém as imposições da vida são fortes.

      Bom Ano, Ana. ;)

      Eliminar