quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Who?


Eu sou "old school". Isso é mais do que ponto assente. Alguns comportamentos não adopto.

Gostaria que se possível, alguém me explicasse como é concebível adicionar pessoas no Facebook sem sequer se conhecer a pessoa que se adiciona. Não bastava que esse elemento de ligação se intitulasse de "amigo", ainda por cima ocorre inúmeras vezes com desconhecidos.

Muito educadamente envio uma mensagem a referir que vi o pedido e pergunto se já nos conhecemos. Resposta? Pois, não existe. WTF?!
Enviam-me um convite e nem se dignam a responder a uma mensagem? Que tempos são estes afinal? Cada vez mais compreendo o pensamento de Bauman.

Resultado, tenho imensos pedidos que não aceitei. Óbvio. No meu tempo levávamos isto a sério.


Fox

6 comentários:

  1. Ao inicio também pensava o mesmo, mas agora que estou solteira há algum tempo, mudei um pouco a opinião. Pensa assim: na internet também, quem sabe, poderás conhecer alguém especial com quem futuramente poderás estar numa relação. Não estou a dizer uma relação virtual, nada disso! Estou a dizer que poderás conhecer uma pessoa na internet (que talvez nunca poderias ter conhecido de outra forma) e através dessa oportunidade, marcar um encontro, um café e a partir daí só o futuro dirá. Não sou pessoa para mandar pedidos de amizade a torto e a direito e nem tão pouco de aceitar tudo que vem à frente: faço uma selecção, aceito as pessoas que conheço claro e aquelas pessoas que até achava interessante conhecer. Neste momento, conheci uma pessoa assim e estou a sair com ela. Se calhar de outra forma, nunca nos tínhamos cruzado e a oportunidade não tinha surgido. Mas quero frisar que não sou uma pessoa com 5000 amigos, nada disso! Só tenho cerca de 200, o que é uma raridade hoje em dia no mundo do facebook. E não aceito toda a gente que me aparece à frente, nem tão pouco costumo mandar pedidos. Acho que se calhar devias dar uma oportunidade, quem sabe não aparecerá alguém especial :) Mas obviamente que é só a minha opinião e uma sugestão, cada um é livre de pensar e de fazer o que quer ;) E se a tua ideia é essa, estás completamente no teu direito, por isso aceito e respeito!

    C.A.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não digo que me fecho a essa possibilidade, afinal já convivi com algumas leitoras do próprio blog, mas esta disposição é diferente.

      Enviam-me o pedido mas nem se dignam a responder à mensagem que envio, logo será muito difícil que possa existir mais interação além dessa.

      Eu dou oportunidade quando as pessoas me cativam, o não responderem a uma mensagem educada da minha parte não será a melhor forma de me cativarem...

      Eliminar
  2. Sim, concordo completamente com isso também :) Realmente as pessoas podiam dignar-se a responder, aí é diferente claro!

    C.A.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está, estas novidades das redes sociais prejudicam a nossa comunicação interpessoal. Profundamente.

      Eliminar
  3. Este texto é a minha cara, desculpa lá :P

    Sabes hoje em dia, as pessoas dão demasiada importância ao facebook
    e muito pouca relevância ao ser AMIGO.
    Amigo é diferente de conhecido, como sabemos...e se alguém nos pede amizade é porque nós suscitamos alguma tipo de interesse/curiosidade nessa pessoa, mas e falo por mim, acho que muitas vezes esses pedidos não são com o intuito construtivo de um conhecimento mutuo, mas sim de "cuscar" , com quem lidamos e o que fazemos.

    Mas isto sou eu que me sinto cada vez mais ultrapassada :P
    Eu que adoro conversar,ali frente a frente, por vezes já nem sei se as pessoas estão realmente a prestar atenção ao que digo ou se estão mortinhas que me cale para irem para o facebokas lol

    Modernices :)

    Posso dizer que os pedidos de amizade no meu facebook são o triplo dos amigos que efectivamente lá estão . Se alguém não te respondeu se calhar sentiu-se retraido:P .

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece que dão mesmo. No meu tempo dávamos valor à comunicação interpessoal a que hoje todos fogem. Como tudo muda.

      Eliminar