sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

The Office IV

O meu coração sobressalta-se. Num instante, sinto-me a gelar. Um gelo que percorre todo o meu corpo. Se não fosse este divã, sobre o qual me deito, certamente que sentiria o chão a fugir-me. Não quero crer nas palavras que acabei de ouvir. Não, não pode ser. Ele não pode estar a dizer isto. Quero-o tanto, mas tanto. Quero-o comigo… Quero-o em mim. Volto a minha face em direcção da sua. Encontra-se sentado, perna cruzada, mãos nervosamente pousadas sobre os braços do cadeirão.        Os meus olhos encontram os seus. Aqueles olhos de um castanho incomparável mostram medo, como um menino assustado, escondido num corpo de homem.
Sento-me no divã. O vestido sobe mais um pouco, mas desta vez não o tento impedir. As ligas de ambas as pernas ficam bem visíveis. Do medo, surge o desejo. Levanto-me do divã. Os seus olhos percorrem a minha silhueta, um tanto ou quanto exposta pela subida do vestido. Dirijo-me até ele, pé ante pé, num passo vagaroso. Sinto as pernas a tremer, mas eu quero-o. Vejo-o a descruzar a perna e a agarrar cada vez com mais força os braços do cadeirão. Assim que o meu joelho toca levemente o seu, paro.
- Importa-se de repetir?
- Hum… Er… Eu…
Se anteriormente o seu perfume se fazia sentir pela sala, agora toma-me de assalto devido a esta proximidade de corpos. Mas não é apenas isso que sinto, é algo mais. Uma mescla de feromonas que me tomam conta das sensações e aceleram o ritmo cardíaco. Começa-me a ser difícil de respirar perto dela. Muito. Pior agora com a sua perna junto à minha. Com a saia subida. E as ligas à mostra.
Começo a engolir em seco, o suor começa e escorrer, sinto-me quente. O meu corpo reage à excitação da situação, a visão desta perspetiva é deveras apelativa. De mãos nas ancas, pescoço ligeiramente inclinado e olhar aguçado, a menina que há pouco estava indefesa passou ao ataque. Esta mulher tem garra quando é acirrada.
Levanto-me lentamente do cadeirão para estar ao seu nível. É mais baixa um palmo do que eu. Ambos os olhares se fixaram durante o movimento. Estamos agora bem próximos um do outro. As respirações quase se tocam. O profundo verde dos seus olhos parece trazer consigo o brilho de esmeraldas.

- Ana, não quero que pense mal de mim.

Fox + YellowB*

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigado, C.A.. Já está quase no capitulo final. ;)

      Eliminar
    2. Que pena, estava a gostar muito de ler ;) Quantos capítulos faltam para o final?

      C.A.

      Eliminar
    3. Normalmente nos blogs não apreciam leituras muito extensas. Estás a fugir à regra C.A. ;)

      Mas ainda vais ter mais para ler, faltam quatro capítulos. A escrita a dois sendo mais imprevisível torna-se mais difícil de limitar em extensão. Não era previsto ser tão longa.

      Eliminar
  2. Gosto muito de ler, daí não me importar nada de ler conteúdos extensos, se os mesmos forem interessantes ;)

    Ok, fico à espera dos próximos capítulos. De facto, estão os dois de parabéns, pois está a ser mesmo cativante!

    C.A.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então já somos dois a deter o prazer da leitura. ;)

      Obrigado, C.A..

      Eliminar