sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Goddess


"Less is more"




Devo dizer que o conceito é mais do que perfeito, quando aplicado neste ponto de vista... Mostrar menos significa atrair ainda mais. Muito mais. É impossível ver este filme e não ficar "louco" com a Amy Adams. Oh my...


Fox

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Smile to me

Sorri.

O sorriso dura um momento. Mero instante efémero em que tudo mais parece desaparecer e o acontecimento é vivido em plena felicidade. Será esta valência que o caracteriza como desejável, especialmente quando não o temos ao alcance de um olhar. 

Sorri para mim.

Observar outros a sorrir não atenua a ausência que no nosso íntimo sentimos. Não é nosso aquele sorriso, apesar de nos ser visível. A insignificância de alguém nos sorrir, enche-nos o interior com a luz de mil sóis, porém, a vulgaridade de o recebermos não é igualável ao seu parco custo.

Sorri por mim.

De irrisório valor pode ser um sorriso, especialmente se não for sincero. Aquele que se afigura como genuíno, é valioso tanto na sua concepção quanto na sua demonstração. Sentir que somos o alvo de um sorriso ou ainda, que somos a razão da sua geração, será um domínio deveras inexplicável.

Percam um momento para sorrir. Para alguém. Por alguém.


Fox

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Angel



Nunca nenhum eu vi, nem descortino se algum dia verei, porém se o termo nela não se aplicar, então de beleza nenhuma eu entenderei.

Dias existem em que apenas por momentânea observação, preciosamente ficam para sempre valorizados. Nestes, dispomos apenas de um fugaz momento para discretamente alguns pormenores guardar. A vida nunca nos sorri desta forma, há que aproveitar o instante e construir o mais belo retrato imaginário possível. Hoje foi um desses poucos e por tal, me aquece o espírito apenas de o recordar.

De pele branca e macia, cabelos compridos e castanhos, lábios voluptuosos e sedutores, rosto belo e delicado com uns deslumbrantes olhos cor de mel... Ah! Aqueles olhos! Por eles todo o mundo seria visto em transcendental beleza, tal a perfeição de encanto que em si guardam. 

Em alturas assim, urge em mim um fulgor de vida que no meu estagnado viver julgo já apagado. Ah! Como saborosa deverá ser a vida daqueles a quem a fortuna sorri.

Se por desígnio do destino, o maravilhoso ser que hoje vi a tomar café às 15:30 ler estas palavras, que faça o favor de me dizer. Troco o meu reino por um dialogo em tão maravilhosa companhia...


Fox

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

My spot


They are like a plague of locusts.

Eu aprecio muito aquele bar. Já faz imenso tempo que o frequento, contudo agora perdeu o seu maior atrativo, as pessoas certas.

Desde o começo sempre teve bonitas caras e belos corpos, pertencentes a pessoas com carisma e dentro de uma faixa etária interessante. Agora tudo isso se perdeu, passando a ser mero palco de atratividade a jovens muito novos que se deslocam em "matilha" e grupos de solteirões que procuram o que já não existe por lá.

Neste clima não me sinto bem. Saio para ver caras bonitas, não para passar a noite a ver solteirões em conversas depreciativas e duvidosas, acerca das jovens que recorrem a indumentárias mínimas em extensão de tecido.

Tenho de encontrar outro local onde me consiga sentir em casa. Aqui já não dá.


Fox

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Cooking



Gosto.

Por necessidade ou vontade própria, tenho um especial gosto em me entregar às lides da cozinha. Especialmente quando é para cozinhar para os amigos, realizando um belo serão que termina em longas conversas ao sabor de um café ou uma outra qualquer bebida a preceito.

Sou neste domínio o que se denomina por autodidacta, ninguém me ensinou, apenas comecei a procurar receitas que me agradavam e coloquei mãos à obra. Uma vez mais, o meu sistematismo tão característico fala mais alto. Não existe perfeição mas a realização tem sido apreciada...

E quanto a vocês?


Fox

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Memory



The Lord gives and the Lord takes.

Todos nós desejamos algo. Todos nós pedimos algo.

Desejar não é obter, nem todos chegam a possuir o que sempre almejaram. Todavia, alguns conseguem viver o seu sonho por efémeros momentos, até ao instante em que tudo mais desaparece, como pequenos grãos de areia entre os dedos de uma mão fortemente fechada.

O que será melhor? Conhecer a felicidade e perde-la ou nunca saber o que poderia ter sido?


Fox


sábado, 15 de fevereiro de 2014

High heels




Não é muito normal se poder apreciar no dia-a-dia, mulheres que usem de um género de indumentária mais clássica. Contudo, na minha óptica deveria ser mais usual, pois é tremendamente sexy! Especialmente com a utilização dos high heels...

Só de imaginar uma mulher a chegar a casa no final de um dia de trabalho, deixar a saia caída no chão... (acho que vou ali escrever um conto)

Quais das minhas ilustres leitoras têm por hábito o uso deste género de calçado?


Fox

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Valentine's III

Já longos vão os anos desde aquele dia em que nos apaixonamos à primeira vista, todavia, sempre que nos encontramos o sentimento é o mesmo. Aquele encanto que se sente mas não se explica, aquele bem-estar que não se vê e apenas nós os dois entendemos. 
Lamento muito hoje não te poder levar a sair, percorrer essas belas ruas iluminadas pela suave luz dos candeeiros, escutar as ondas do mar embaterem nas paredes rochosas, mas bem sabes o quanto perigoso é montar-te em climas de tempestade.

Happy Valentine´s Day, Bella.


Fox

At first sight

Será este o dia por excelência considerado ideal para abordar esta questão.

Um olhar. Um contacto. Um rumo.
Trocado. Estabelecido. Partilhado.
Juntos 

Consideram ser possível? Quantas de vós já sentiram na primeira pessoa esta experiência de vida? Ver o outro pela primeira vez e sentir que é o tal.

No meu caso, devo admitir que a primeira vez que a vi, estaria longe de imaginar o que surgiria nos anos seguintes. Porém, muitos dizem que se consegue notar quando é diferente. Como será?

Espero que todas as que namorem, tenham um dia dos Namorados muito intenso...


Fox

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Just one



Hoje enquanto prosseguia a minha leitura de um dos livros de Jane Austen, tropecei algures numa frase através da qual, uma personagem diz que apenas se ama uma vez na vida. Fiquei a pensar nestas palavras, enquanto procurava estabelecer um certo paralelismo com a minha própria experiência de vida.

Acham que durante a nossa vida apenas temos uma oportunidade para amar?


Fox

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Good movie? Hell yeah XVII


Quando um autor cria um réplica de alguma obra, não se consegue conter e acaba por colocar o seu cunho pessoal na própria obra. No entendimento desta ação, poderemos dizer que o amor pode ser falsificado?

Fica aqui o mote para um excelente filme...


Fox

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Saw you


Vi-te no Comboio

Encontrei esta recente comunidade no Facebook e achei-a muito interessante. Todos aqueles que usam este meio de transporte, sabem bem a quantidade de olhares que regularmente são trocados entre todos os desconhecidos que o usam. Com a ajuda desta comunidade, quem sabe não se unem algumas dessas mesmas pessoas...


Fox

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Miss it





The thing i miss the most is a kiss.


Fox

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

The Office VIII

Todo o meu corpo está a ferver, menos os mamilos encostados ao vidro. Sinto-me entre a espada e a parede. Uma espada deliciosa, tenho que confessar. Estou tal como vim ao mundo perante esta bela cidade. As minhas mãos fazem ricochete na vidraça empurrando-me contra o seu corpo. Penetra-me de forma mais profunda e prazerosa. Os gemidos saem-me sem controlo. O vidro fica embaciado, tornando-o escorregadio. Quentes e suadas, as minhas mãos fogem.  Viro-me e encaro-o. Vejo fogo nos seus olhos, vontade de me possuir até vazar todo o desejo reprimido. Alteio uma perna e traço-a sobre a sua cintura. Habilmente encaixa-se dentro de mim, pegando-me ao colo. Andamos pelo gabinete, enquanto continua a penetrar-me e a trincar suavemente os mamilos. Deixa-me louca.  
Deitamos sobre o divã, frente a frente. A sua boca mordisca os meus lábios, beija-me o pescoço. A minha dá pequenas tricas nos lóbulos das orelhas, sussurrando-lhe pequenas palavras obscenas que o fazem sorrir. Agilmente faz-me deslizar para o topo. Vislumbra-me expectante. Fecho os olhos e deixo-me levar pelo que o meu corpo pede. Cavalgo sobre ele enquanto exploro o meu corpo, potenciando o meu prazer. A sua respiração torna-se cada vez mais profunda, intercalada com pequenos gemidos. Sei que está a desfrutar deste momento tanto quanto eu. Aumento o ritmo, quero o topo do prazer e quero que ele esteja comigo. As suas mãos apertam a minha cintura com força. Está tão, mas tão perto... Arqueia o seu corpo penetrando-me ainda mais profundamente. Prazer, prazer, prazer… Os meus poros emanam prazer. Levanta-se repentinamente, abraça-me e crava os dentes sobre o meu ombro. Em mim, sinto o fruto do seu desejo, quente, fluindo pelas minhas pernas.
Caímos sobre o divã. Sobre o seu peito, ouço o coração bater.
- Ana…

Interrompo a sua tentativa de discurso, colocando o meu dedo sobre os seus lábios. Não quero ouvir, não quero saber. Só quero o aqui e o agora.

Fox + YellowB*

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Poem

O que pensar quando se descobre que mulheres de vinte anos nunca tiveram ninguém que lhes dedicasse umas parcas palavras ao estilo de um poema ou algo que se assemelhasse? Já não será esta valorizada, ao ponto de se exigir um tratamento especial e diferenciado do banal? Ou estaremos tão imersos e perdidos nos avanços tecnológicos, ao ponto de permitir que o requinte e mestria da corte tenham ficado para sempre soterrados sob as areias dos tempos?

Nestas ocasiões, fico absolutamente estupefacto com o ritmo e mudanças que se instalam a nível da comunicação interpessoal apenas no espaço de uma geração. Tanto muda, tanto permanece igual, porém, o encanto envolto a certas particularidades desaparece para dar lugar à simplicidade, apenas em nome da facilidade.

Pobres tempos estes.


Fox

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Bond



Se vivêssemos numa utopia "hollywoodesca" estariam todos os homens predispostos a casar? Acham que com a pessoa certa, até os homens se querem comprometer num laço eterno ou "até que a morte os separe"?

No vosso entender, que pensam vocês acerca deste assunto?

Quanto a mim, não o sei dizer, nunca senti o chamamento do enlace matrimonial. Talvez por não ter encontrado "a tal" ou devido à codificação genética estar programada para os homens simplesmente não sentirem nada em relação a isso.

Uma coisa é certa, a melhor receita para um feliz casamento será tal como a figura mostra. Senhora na rua...


Fox

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

For you all



Pearl Jam - Sirens

Esta melodia é dedicada a todas vós, que perdeis um pouco do tempo da vossa vida a ler os devaneios desta pobre alma. Como considero o tempo que dedicamos a alguém algo de grande valor, merece no meu entender esse gesto ser agraciado, ainda que de uma forma singela.

O meu agradecimento pela vossa dedicação e palavra.


Fox

The Office VII

Estou perto do auge. Desfruto da minha fonte de prazer cada vez mais embebida com ténues palpitações ainda que constantes. Tomo a sua mão e, seleccionando dois dedos seus, introduzo-os dentro de mim. Gememos em uníssono. Começo numa pequena cavalgada, mas rápido me apercebo que é ele quem me quer proporcionar esta onda de prazer. Deixo-me levar, deitando-me sobre o seu colo, embora grande parte das costas e cabeça fiquem sem apoio. A sua habilidade é estonteante. O controlo vai-se esvoaçando, tal como a realidade. O ritmo aumenta, as palpitações também e como que uma explosão, sinto o meu corpo a extravasar prazer, muito prazer. Percorre-me cada parte do corpo, cada centímetro de pele, cada ponta de cabelo. 
Por breves segundos, entro em letargia, como que cada parte do meu corpo pesasse uma tonelada. Liberto-me das suas mãos, do seu corpo, do cadeirão. A custo coloco-me de pé, com as pernas trémulas. No seu olhar vejo expectativa. Puxo as alças do vestido para cima, tapando os meus seios, aqueles que tão bem acariciou. Desilusão é o que gritam os seus olhos, perante o doce retirado a um menino. Mais uma vez, dona de um sorriso malandro, deixo cair totalmente o meu vestido. Aproximo-me, acaricio o volume sobre as suas calças e abro o zíper.
Com uma notável destreza se conseguiu ver livre das calças para em seguida também retirar os boxers. Ficou-se pela tentativa. Segurando-a pelo queixo roubei-lhe um beijo e fi-la levantar-se. Trocamos contacto numa deliciosa dança entre línguas enquanto a dirigia para as enormes janelas de vidro do escritório. Vista desde o 25º andar, a cidade parece ganhar uma dimensão bem diferente da habitual. Abandono os seus lábios e viro-a contra o frio vidro que nos enfrenta. Fica surpresa pela intenção de exposição mas expressa um sorriso maroto, denunciado pelo seu reflexo no vidro.
Guio-lhe as mãos até ao vidro enquanto lhe deposito ligeiros ósculos sobre o pescoço e ombros. Percorro o seu peito com ligeiras caricias, beijando-lhe as costas à medida que vou descendo. Um último beijo é depositado no seu rabo empinado e uma palmada que deixa uma bela marca vermelha. Liberta um ligeiro suspiro.

Baixo os meus boxers. Prisão de tecido que impedia o contacto que tanto desejamos. Encosto finalmente os dois corpos quentes que se cobiçam. Perfeita união de curvas que agora se tocam numa amálgama de pele sem princípio ou fim. As minhas mãos percorrem todo o seu corpo enquanto lhe dou mordidas no lóbulo da orelha. A sua respiração é quente e ofegante. A pele está húmida e pegajosa. Entre ligeiros gemidos confessa-me que me “quer”. Afasto-lhe as pernas e penetro-a vagarosamente enquanto lhe empurro todo o corpo contra o vidro. De uma vez sente-me o calor e o frio do vidro. 25 andares acima do solo.

Fox + YellowB*

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Executive style



Adoro.

Uma mulher bem vestida é sempre um encanto para a nossa visão. Quase tão bom quanto parcialmente despida...

Hoje foi um desses afortunados dias, em que se vê uma mulher que sabe estar e como se comportar de acordo com a imagem que apresenta. 

Elegante, sensual, bela. 

Blusa, saia, high heel. 

Perfect. Want. One.


Fox

Secret II



Parece que o meu pensamento acerca das prostitutas gerou alguma celeuma no Shiuuuu...

Não consigo compreender que vocês mulheres exerçam preconceito para com todas aquelas que elegem, por necessidade ou opção, a prostituição como forma de labor. Não estaremos nós, dentro de uma sociedade que nos ensina a não exercer preconceito sobre terceiros? Por que razão, haveríamos então de ver estas mulheres de forma diferente?

Como em qualquer outra profissão, são especialistas nesta área específica, detendo uma enorme capacidade de "know-how" nas lides sexuais. São especialistas, o que até reúne em si uma certa importância em qualquer área de trabalho. Será que isso faz delas pessoas inferiores, apenas por se tratar de um assunto tabu na sociedade?

É correto eu ver um dedo em riste apontado à minha pessoa por ser razoável em relação a esta situação? Segundo um velho costume grego, quando se aponta um dedo a alguém devemos sempre pensar que temos três que se apontam a nós mesmos...


Fox

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Old


Quase de forma cíclica, surge uma qualquer aplicação que procura descrever através de questionários, algo relativo à nossa pessoa. Portanto, não foi espanto ouvir na rádio que neste momento um dos que está a suscitar mais curiosidade entre as pessoas, é um que procura descobrir a idade mental. 




Ainda que estas situações sejam mais falíveis do que a chuva fazer ricochete no chão e voltar para cima, não se perde muito tempo a efectua-los e ao menos satisfaz a minha natural curiosidade. Segundo o mesmo, será normal apresentar um valor cerca de cinco anos mais velho do que a idade real da pessoa.

No meu caso deu ligeiramente mais. Qualquer coisa como vinte e dois anos mais velho. O questionário intitulou-me de ancião. Pois, agora entendo a razão pela qual sempre se senti velho e deslocado...


Fox