domingo, 2 de fevereiro de 2014

Secret II



Parece que o meu pensamento acerca das prostitutas gerou alguma celeuma no Shiuuuu...

Não consigo compreender que vocês mulheres exerçam preconceito para com todas aquelas que elegem, por necessidade ou opção, a prostituição como forma de labor. Não estaremos nós, dentro de uma sociedade que nos ensina a não exercer preconceito sobre terceiros? Por que razão, haveríamos então de ver estas mulheres de forma diferente?

Como em qualquer outra profissão, são especialistas nesta área específica, detendo uma enorme capacidade de "know-how" nas lides sexuais. São especialistas, o que até reúne em si uma certa importância em qualquer área de trabalho. Será que isso faz delas pessoas inferiores, apenas por se tratar de um assunto tabu na sociedade?

É correto eu ver um dedo em riste apontado à minha pessoa por ser razoável em relação a esta situação? Segundo um velho costume grego, quando se aponta um dedo a alguém devemos sempre pensar que temos três que se apontam a nós mesmos...


Fox

30 comentários:

  1. Olá Fox , tenho vindo menos a net mas quando venho espreito aqui o teu cantinho.

    Quanto às prostitutas para mim são mulheres (também os há homens) mas para mim são pessoas como as outras, por vezes são forçadas a escolher essa vida, outras vezes começa por uma "brincadeira" e acabam por ir ficando.

    A vida já me ensinou que não sabemos o dia de amanhã e digo isto porque recentemente recebi um telefonema de uma amiga , daquelas amigas que casaram tiveram filhos, e depois separaram-se e ficaram com os filhos para sustentar e confessou-me que entrou nesse mundo por necessidade.

    Pelos relatos dela , ninguém me diga que é fácil enveredar por esse caminho, estar com homens que não se tem a mínima intimidade e estar ali à mercê.

    Não gostaria dessa vida para mim, mas o dia de amanhã ninguém sabe.
    A maioria destas mulheres anda nesta vida por necessidade, outras porque já atingiram um nível de vida tal que de outra forma não conseguiriam suportar os luxos.

    São vidas e nunca esquecer que antes de alguém enveredar por esse caminho , teve uma história de vida e como sabemos, há sempre quem nos aponte o dedo, mas poucas pessoas se disponibilizam para ajudar alguém em dificuldades.

    Enfim...

    Bom domingo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradecido pela gentileza da dedicação ao meu blog, cara senhora. ;)

      Ora nem mais, muitos devem ser esses casos, quer pelo país, quer pelo mundo fora. Mais razões para não se exercer preconceito sobre elas.

      Eliminar
  2. Tudo se prende com a mente fechada que ainda muita gente apresenta. Tal como muitos de nós para trabalhar precisamos do nosso saber e outro tipo de recurso (desde máquinas, computadores, carros e afins), estas pessoas usam o seu saber e o seu corpo. É o seu recurso.

    A unica coisa que a mim me faz confusão são as condições precárias em que algumas destas pessoas exercem a sua profissão (exemplo, no meio do pinhal e coisas assim). Mas julgo que até isso tem vindo a mudar e cada vez menos se vêem pessoas nessa situação.

    Yb*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece que volvidos milhares de anos, muitos ainda possuem a mente fechada, afinal trata-se da profissão mais antiga do mundo...
      Porém, "alguém" no Shiuuuu decidiu que eu não estaria a ser correto nas minhas avaliações.

      Eliminar
  3. Ninguém diz nada, vou-me chegar à frente de novo...

    É um assunto muito complexo. Não diria que são só mulheres que têm esse preconceito, mas os homens também, ou seja, a sociedade em geral. Além de que muitas delas devem até ser maltratadas pelos clientes ou pelos “bosses”. E acredito que não ias gostar muito de ter uma filha/ irmã/ namorada/ tia, whatever... que escolhesse essa vida.
    Infelizmente, havendo tanta procura, sexo é um negócio que dá muito dinheiro. E como tudo o que dá muito dinheiro, leva ao tráfico. Eu sinto pena e revolta por haver mulheres e crianças, que são usadas, traficadas e obrigadas a prostituir-se debaixo da asa de uma máfia qualquer. Prostiuição, leva-me a pensar em 2 coisas, risco altissímo de doenças sexualmente transmissiveis e tráfico humano.
    No mundo da prostuitição de luxo, penso que o que se passa é algo diferente. São mulheres normalmente exepcionalmente bonitas e que se metem nisso porque querem, gostam e são muito bem pagas. Provavelmente, até deve haver algumas que são tão requisitadas que até escolhem os clientes (ricos...).
    Tanto devem saber elas sobre sexo, que muitas já escreveram livros de dicas sobre o assunto e sobre a vida que levaram. Por isso, esse argumento de que tens essa vontade ou fantasia, porque elas têm skills e que provavelmente te tiram o fôlego, mais do que outra mulher, acho-o prefeitamente válido. Concluindo, acho que a minha opinião é um bocado ambivalente quando penso nesse assunto no seu todo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afinal tinham-se chegado à frente... ;)

      Eu acredito na liberdade das pessoas, se as estimamos, temos de as deixar livres. Se fosse essa a escolha delas, que me adiantaria não gostar?

      Considero e concordo com a tua repugnância com o tráfico humano e o lenocínio, porém não era isso que aqui estava em causa. Apenas a questão implícita do preconceito.

      "porque elas têm skills e que provavelmente te tiram o fôlego, mais do que outra mulher"
      Ámen! Alguém que entendeu o comentário acerca das prostitutas de luxo do Shiuuuu. Enough said.

      By the way, i like the way you write on your blog. ;)

      Eliminar
  4. Thanks! ;) Espero que possas visitar mais vezes o meu pequeno espaço, assim como os teus leitores. Se puderem dar algum feedback, tanto melhor :)

    http://setumeouvisses.blogspot.com
    http://eucliquei.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre que me seja possível faço uma visita.

      Temos de escrever algo um dia destes. ;)

      Eliminar
    2. Quando quiseres... Eu aceito o repto ;)

      Eliminar
    3. Pensa em algo e informa-me das regras. ;)

      Eliminar
  5. Eu não tenho preconceitos em relação a este tema, visto que como já foram referindo nos comentários anteriores, muitas fazem-no por necessidade e outras por vontade própria, mas só temos de respeitar a sua decisão. Por essa razão, entendo a tua vontade de estar com uma, afinal de contas elas são especialistas nesta área ;)

    C.A.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro, afinal todos nós somos livres de efetuar as nossas escolhas.

      Sim, o encanto nasce essencialmente nas suas "skills" mas também no facto de que normalmente são mulheres lindíssimas. A atração pela beleza de todas as coisas é muito forte em mim. ;)

      Eliminar
  6. Penso que percebo o reboliço que o teu comentário fez no shiuuuu. A ideia de ter algo com uma prostituta não é aceite, mas porque a profissão também não é aceite. A mim não me fez confusão...apesar de muitos/as não admitirem, pagar por sexo pode ser excitante (nunca paguei, contudo digo-te que a ideia me atrai!). E como tu disseste devem saber o que fazem, daí que para quê procurar sexo fácil (estou a falar por exemplo de pessoas bêbadas em discotecas) onde se pode sair desiludido e porque não pagar para sair satisfeito da vida?

    Falta a legalização da profissão, mas Portugal ainda está atrasado em mentalidade para isso. Pode ser que um dia...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora nem mais. Não é aceite a profissão nem a "pessoa". Depois apregoam-se como respeitadores das diferenças...

      Paga-se, mas temos acesso a tempo de qualidade, com pessoas que sabem o que fazem. Já tive bastantes desilusões no domínio sexual para saber como são as coisas. Ninguém nasce ensinado, tudo depende da aprendizagem, porém, se virem o sexo como um tabu nunca irão querer aprender e evoluir.

      O resultado dessa equação não é o melhor, para um ser que tem uma vida tão preenchida mas tão efémera aos seus olhos. Temos que viver o momento e aproveitar o que de melhor existe nele...

      Eliminar
  7. Bem, eu até fui ler ao shiuuuu o que se tinha passado...

    1.º Talvez porque começas a dizer "quem não gostaria..." quando há comentadores masculinos que dispensavam estar com uma prostituta.

    2.º Não vi lá nenhum comentário em que as pessoas manifestassem qualquer preconceito. Nem acho que isso alguma vez esteve em causa.

    3.º Pessoalmente, como em tudo na vida, nunca critico as opções dos outros, porque são isso mesmo: dos outros, não minhas, logo não sou eu que vivo com elas, não é a mim que me vão afectar. Mas posso discordar. Tiro o chapéu a pessoas que, perante adversidades da vida, recorrem a essa profissão. Porque deve ser asfixiante ter um filho a quem ter que alimentar e não ter dinheiro. Essas mulheres têm o meu respeito.
    Quem envereda por essa profissão por gosto é uma escolha. Realmente há mulheres que, tendo em conta a forma como se comportam, mais vale cobrarem. Como disse é uma opção delas. Não minha.
    Quanto a pessoas que recorrem a esses meios para manterem um determinado nível de vida ou poderem continuar a adquirir determinados bens de luxo, lamento mas não consigo compreender. E acredita que conheço muitas mulheres que enveredam por essa vida para comprarem uma Louis Vuitton original, continuar a viverem num condomínio mega luxuoso, etc. Sinceramente preferia não ter uma carteira dessas ou viver num sítio mais modesto do que recorrer à prostituição. Acho que é como escreves muitas vezes: vivemos numa sociedade em que o importante é o ter e retirar felicidade apenas das coisas que possuímos e depois dá nisso: vender o corpo só para ter poder económico. Por isso lamento, respeito as escolhas dos outros, mas não me peçam a minha simpatia, porque não há aí nenhuma causa nobre;

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Homens que dispensam estar com uma prostituta de luxo?! Só se for pelo problema de pagarem, mas posso estar errado...

      Eu entendo que seja o problema do preconceito, caso contrário qual seria a razão de eu ser atacado assim? Apenas por ser romântico? Os românticos também adoram os prazeres carnais. Se calhar até mais...

      Eu no meu entender, creio que o mais ético seja não praticar nenhum género de preconceito e aceitar as pessoas pelo que são, pessoas. Temos de deixar de lado os rótulos e estimar a essência humana.

      Eliminar
    2. Tantos, mas tantos. Tantas vezes que discutimos esses assuntos entre jantares de amigos. Uns admitem que têm essa fantasia; outros amigos admitem que podem ser mulheres muito belas, mas que essa ideia não lhes atrai, seja pelo próprio ato de pagar para ter (e porque não precisam disso), por ser uma situação descartável, pela falta de conquista, de sedução. E olha que estamos todos relativamente à vontade para discutirmos esses temas e só o fazemos em grupos restritos de amigos, portanto têm tudo para serem honestos.

      Houve nos comentários de tudo. Gente a favor e contra, homens e mulheres nos dois lados. Não foste só tu que foste "atacado". Naturalmente que os românticos adoram, como adora toda a gente, os prazer carnais, mas convenhamos que quando se é romântico amor e sexo normalmente andam de mãos dadas.

      Não destrato ninguém pela profissão que tenha. Admito que há quem precise recorrer a ela por necessidade. Ninguém sabe o dia de amanhã, embora acho que se deva procurar primeiro todas as soluções possíveis (ex.: emigrar, se for possível).

      Tenho uma conhecida no meu grupo de amigos que sei perfeitamente o que faz da vida. E sei que se prostitui para manter um determinado nível de vida, como por exemplo continuar a usar roupas absurdamente caras, mas que com o meu salário nunca vou puder comprar. Nunca tive problemas de ser vista em público com ela, nem que ela saia com o meu grupo de amigos. Nunca tive vergonha ou coisa do género e olha que já senti olhares, mas sinceramente é para o lado que durmo melhor. Agora sentir simpatia por ela ter que recorrer à prostituição por esses motivos? Lamento mas não. Acho um motivo fútil honestamente. Se ainda tivesse um filho doente que necessitasse de um tratamento médico caríssimo ainda compreendia. Mas roupas, jóias, carrões... desculpa mas não consigo compreender. Eu compro todas essas coisas em função dos meus rendimentos. Se não tenho dinheiro não compro. E tens que convir comigo, pois tantas vezes escreves aqui deveríamos olhar menos aos bens materiais em favor de outros valores. Reitero: respeito as decisões dos outros, mas não me peçam para concordar.

      Eliminar
    3. Pronto, conhecemos homens diferentes então. Afinal de contas, cada um é como cada qual.

      Falei apenas em respeitar como igual, sem preconceito, nada referi acerca de simpatia. Isso já são outras dimensões na conversa.

      Eliminar
    4. Exacto e houve homens que se manifestaram no shiuuuu nesse sentido também. Não são só os homens que eu conheço.

      Seja prostituição por motivos nobres ou fúteis digo o que já escrevi anteriormente: respeito sempre, em tudo na vida, as decisões dos outros que em nada me afecte ou prejudique, porque são isso mesmo, dos outros. Não sou eu que vivo com elas. Mas há que convir que, como tantas vezes aqui escreves, deveríamos dar menos atenção aos bens materiais e aquilo que podemos comprar ou não. Há outros valores que devem falar mais alto. E quem diz prostituir-se para comprar coisas caras, diz casar por interesse, passar a perna num amigo para chegar mais longe na vida, and so on...

      Mas, como disse, a escolha não é minha, não tenho nada a ver com isso.

      Eliminar
    5. Confio mais na opinião que partilhas dos que interagem contigo do que os que escrevem no Shiuuuu. Muitos deles apenas o fazem para parecer bonito, nem todos são sinceros como eu.

      Concordo, tens toda a razão nessa perspectiva.

      Eliminar
    6. Por detrás do anonimato? Qual a vantagem de um homem vir por detrás de um simples anônimo dizer que não se vê a recorrer a este tipo de serviços?! Não me parece que queiram "parecer bonito" até porque ninguém os consegue identificar... Se ainda houvesse um perfil seria normal escrever coisas bonitas para cativar o público feminino,mas quando ninguém consegue identificar...

      Sabia que concordavas comigo pois tantas vezes escreves exactamente isso... As coisas que fazemos só para possuirmos bens materiais. Não seria por querer adquirir esses bens pela prostituição que a coisa mudaria de figura...

      Eliminar
    7. Não me referia aos anónimos.

      Sim, escrevo imensas vezes acerca disso, pois não é fácil de se dar valor ao que realmente interessa. É uma instrução que se propaga pela sociedade.

      Eliminar
    8. Mas foram anônimos que se manifestaram no sentido de não quererem recorrer a esse tipo de serviços ;)

      Eliminar
    9. Não os li, sinceramente. Fiquei tão preso naquele "duelo" que não li mais nada.

      Eliminar
  8. 4.º Não acho que o teu comentário tenha causado celeuma, mas antes diria um certo "espanto". Por um motivo: pelos comentários que fazes sempre no shiuuuu são sempre muito românticos, digamos assim. Ou pelo menos é aquilo que transparece deles. E quando as pessoas são assim penso que normalmente têm uma certa dificuldades em dissociar o sexo do amor. E como tu dizes que conseguirias isso (sobretudo quando as pessoas te vêm como um romântico), o espanto adveio daí;

    5.º Percebo o que a Inês escreve no seu comentário, o certo fascínio em pagar por sexo. Tenho um amigo que teve a possibilidade de a realizar. Disse-me que esteve com uma mulher muito bonita, corpo de modelo, num Motel muito conhecido no Porto. Estava à espera que me dissesse que tinha retirado imenso prazer desse facto, mas disse-me que se apercebeu que afinal o pagar retirou-lhe todo o tesão e que lhe fez falta toda a parte da sedução e da conquista. É aquela coisas: às vezes têm-se mais olhos do que barriga.

    6.º Enquanto mulher acredito que se possa retirar prazer de estar com um prostituto. Acredito que me possa ensinar imensas coisas e que me poderia levar ao êxtase, mas sinceramente nenhum prazer do mundo bate o maior de todos - a cumplicidade.
    Acredito que sejam homens lindíssimos, com corpos de ginásio, maravilhosos, daqueles de capa de revista. E sabe Deus como gosto de tudo o que é bonito (pessoas ou bens), mas o meu maior turn on de todos é estar com uma pessoa com a qual tenha compatibilidade intelectual. Isso sim é que é excitante. Não se trata de ter um canudo (e bem sei que algumas delas e deles têm formação superior), trata-se de compatibilidade intelectual.
    Claro que, às vezes, estamos com pessoas que não correspondem à nossas expectativas no campo sexual (seja pela falta de experiência ou pelos tabus), mas como tudo, com a cumplicidade, vamos compreendendo os desejos do nosso parceiro e dando a conhecer os nossos.
    Toda a gente sabe que nos princípios de uma relação a coisa nunca corre muito bem no campo sexual: seja pela falta de cumplicidade, ainda por uma certa timidez, do gostar de certas coisas que não se sabe se o parceiro vai gostar ou até nem saber como lhe falar sobre isso... Mas todo esse processo de "conhecimento do outro" é das coisas mais excitantes que pode existir. Preferia mil vezes um homem menos experiente que quisesse embarcar comigo na viagem de nos conhecermos do que estar com um prostituto que sabe o que faz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é-me difícil dissociar o sexo do amor, porém já o fiz anteriormente. Foram experiências que surgiram, por isso aproveitei.

      Não são iguais às que falas, em que se obtém a cumplicidade síncrona com outrem, porém possuem em si mesmas alguma réstia de humanidade, certo? Ou agora as pessoas preferem perder tempo em chat´s e redes sociais, por oposição a praticar sexo? Eu neste caso tenho a minha resposta na ponta da língua...

      Eliminar
    2. "Não são iguais às que falas, em que se obtém a cumplicidade síncrona com outrem, porém possuem em si mesmas alguma réstia de humanidade, certo? Ou agora as pessoas preferem perder tempo em chat´s e redes sociais, por oposição a praticar sexo? Eu neste caso tenho a minha resposta na ponta da língua..."

      Sinceramente não compreendi o que escreveste.

      Eliminar
    3. Experiências sexuais com prostitutas são iguais? Elas são pagas para darem prazer, não para criarem cumplicidade...
      Em alguns casos também funcionam como psicólogas, quando te tornas cliente regular, mas se a fonte secar (leia-se, o dinheiro) acaba-se rápido a "cumplicidade"... A humanidade, neste caso de estar a pagar por um serviço, é um facto que não entra aqui. Devem ser respeitadas como qualquer ser humano, mas (salvo te tornando cliente habitual) não me parece que ela queira criar cumplicidade com alguém até porque nunca mais volta a ver aquele cliente.

      "Ou agora as pessoas preferem perder tempo em chat´s e redes sociais, por oposição a praticar sexo?"
      Não é claramente dessa cumplicidade que falo. Há quem perca tempo aí para chegar ao sexo. Há quem as use mesmo para tentar conhecer uma pessoa, convidar para se conhecerem, para tomar um café, para jantar e quando dão por ela já estão na cama um do outro. Pode acabar aí. Ou pode evoluir para uma relação e depois acarreta aquilo que eu falei: todo um processo de conhecimento do outro (incluindo o campo sexual) que é muito mais excitante do que estar com o prostituto mais experiente do mundo. Pelo menos para mim.

      Eliminar
    4. Eu disse que são diferentes... Lê novamente.

      Eliminar