sexta-feira, 25 de abril de 2014

Freeze


Por vezes temos momentos estranhos, perante os quais congelamos. Naquele instante, tudo aparenta ser tão evidente que nem parece ser real. Hoje foi um desses dias.

Sossegado nas minhas lides, "tropeço" num video que me suscitou o interesse. Abro-o. Visualizando o mesmo, congelo. 

Parece-me familiar em demasia. É impossível! Não pode ser! Destruí todas as cópias. Ou será que não? Poderá ela ter alguma? 

Continuo a ver. Termina. Respiro de alivio.

Realmente não era. Ainda bem.


Fox

sábado, 19 de abril de 2014

Sound



O som! Aquele som!

Volvida uma semana desde que tive o privilégio de pilotar esta fabulosa peça de engenharia italiana, ainda não esqueci o som daquele motor. Que sonho!

Want one!!!


Fox

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Therapy



Um dia aprendi uma frase que nunca esqueci e não me canso de repetir: "you never see a motorcycle parked outside of a psychiatrist´s office".

Creio que diga muito acerca do que representa o nosso estado de espirito. Quando os problemas parecem ser maiores do que os Himalaias, nada melhor do que a montar e partir pela procura da doce sensação da liberdade. 

Não existe melhor terapia do que esta, hands down.


Fox

quinta-feira, 17 de abril de 2014

The Train X

Sofia dirigiu-se para o estúdio de fotografia, que já havia sido preparado com  antecedência. Ele foi atrás e ajustou a iluminação.

A roupa que Sofia envergava, não salientava mais do que as curvas do seu corpo. Uma camisa branca enfiada numas jeans justas com o inevitável salto alto. O seu cabelo longo estava perfeito com um ar rebelde.

Desinibida, mexia-se com poses naturais que foram ficado mais sensuais, mas não de forma exagerada. Certamente já seria o álcool a controlar a sua ousadia. Ele ia-lhe dando umas orientações de postura e olhar, aprovando quando ela conseguia o seu objectivo.

Ao fim de algum tempo, ele parecia satisfeito com o resultado.
Voltaram a sentar-se no sofá. Ela bebia mais um pouco, enquanto ele via as fotos em grande plano no seu computador portátil.

- Para primeira tentativa, não está nada mal! - disse sorrindo.

            Ela aproximou-se para ver melhor. Estavam perto, demasiado perto. Os olhares chocaram e os lábios também. Entre a fogacidade dos beijos quentes, o desejo há muito que tinha tomado conta dos seus corpos. Mãos desenfreadas tatearam e arrancaram a roupa que ficou espalhada pelo chão. A busca de se saciarem um no outro foi instintiva. Um impulso que habitava algures dentro de ambos, desde aquele primeiro olhar trocado na estação, explodiu.

Sofia fê-lo deitar-se no sofá, gatinhando suavemente sobre o seu peito enquanto o beijava. Procurava o domínio da situação, queria fundir-se nele e libertar todo o seu desejo. Quando tateou à sua procura encontrou-o duro, quente, latejante. Ficou inebriada. Sentia-se dominante, húmida, sequiosa. Introduziu-o dentro de si. Quando por fim se tocaram, libertaram um expressivo arfar. Sofia sentia-o finalmente como um todo, num plano sensorial muito mais amplo do que esperava.

Através de aprazíveis movimentos, impôs o ritmo que desejava. Os seus olhares estavam ligados entre si, expondo o brilho do desejo. Comandava uma cadência de penetração rítmica, como a de um comboio em andamento, até que o orgasmo uníssono e explosivo lhe deitou a cabeça para trás e a sua face se contraiu num esgar de prazer. Caiu como que abatida por uma bala invisível em cima do peito dele. Ele abraçou-a, suspirou, beijou-a nos seus lábios molhados.

            O tempo ficou suspenso num abraço entre corpos suados e ofegantes. Transparentes espirais de calor emanavam da sua pele. Os olhos perdidos no vazio. As mentes leves como penas. Os corações apressados.

           Algo tão intenso como ambos tinham vivido desde que se conheceram, podia nem ter acontecido, mas a verdade, é que a sorte quis que o Amor nascesse entre eles. E o que podia ser fugaz, teve a sua chance para se tornar duradouro e real!


Fox + Ana Mar

terça-feira, 15 de abril de 2014

Good movie? Hell yeah XVIII



A abordagem de Lars von Trier é crua, lógica e violenta. Acentuada pela importância de ser exercida a vontade de serem desmistificados os tabus. Nem tudo na vida é cheio de cor, algumas coisas são apenas animalescas.

Simplesmente soberbo.


Fox

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Secret




No meu circulo de amigos, todos passamos pelo mesmo ritual de passagem à idade adulta. Pagamos para ter sexo.

Esse acontecimento nunca interferiu na forma como vemos as mulheres. Para nós, continuam a ser o elemento que dá cor a este mundo e são sempre tratadas como verdadeiras rainhas.


Fox

The Train IX

A campainha tocou. Ele sentiu um arrepio na espinha. Dirigiu-se à porta. Tinha tentado arrumar o mais possível o loft mas o resultado não estava muito perfeito. Teria de servir.
Espreitou pelo óculo da porta, confirmando que era Sofia quem tocava à campainha. Respirou fundo e abriu a porta exibindo um sorriso.

- Olá.

- Olá, Sofia. Sê bem vinda ao meu humilde palácio. Entra. – convidou ele sorrindo

- Wow. Isto é muito giro. – disse ela com um ar espantado

- Não é muito mas é meu. Serve-me bem nas minhas necessidades. Fica à vontade.

Enquanto Sofia entrava dentro da divisão sem divisões, ele dirigiu-se à cozinha. Ouvia-se uma música de fundo que enchia o espaço de ritmo e harmonia, um certo aconchego numa casa tão ampla. Quando voltou para junto dela trazia uma garrafa e dois copos.

- Pensei que talvez quisesses descontrair um pouco antes de começar a sessão. Queres um pouco? – pergunta ele de garrafa na mão

- Bem e por que não? – responde ela com um sorriso

Sentados confortavelmente no sofá, rapidamente encadearam uma bela conversa que muitas gargalhadas suscitou. Trocaram olhares cúmplices e muita foi a história que partilharam entre si. O tempo passava sem ninguém o ver, assim como o conteúdo da garrafa que desaparecia sem ninguém notar. No final estavam os dois bastante mais desinibidos do que alguma vez julgaram que seria possível, ele só esperava não fazer nenhuma parvoíce.

- O teu sorriso é divinal. Tens os lábios muito bem delineados. Perfeito. – disse ele, enquanto pegava numa máquina que tinha junto de si e começava a tirar fotos.

- Se começas com os elogios fico sem jeito e coro.

Ele começava a estar concentrado no que fazia e continuou a tirar fotos de vários ângulos diferentes.


Fox + Ana Mar

sábado, 12 de abril de 2014

Wish II

MV Agusta F3 800


Oh my!

Esta "augusta" é uma fera! Ronrona de forma tremendamente sensual.

Eu sabia que um dia ia "montar" uma italiana! Foi hoje!

Que sonho de mota! Que ciclística! Que comportamento! Que som!!!

Estou apaixonado.

Uma das melhores experiências que já tive. Como disse o P., "bem melhor do que muitas relações sexuais"...


Fox

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Sexy Rider II




Finalmente descobri o mistério!

Eu aqui à espera dela e afinal anda perdida pela Rússia.

Perfeição!

Motard, morena, elegante, sexy... Ouch!


Fox

The Train VIII

              - Adeus.

             - Fica bem, Sofia.

         - Em breve, digo-te alguma coisa. -  acenou-lhe e seguiu o seu caminho contrário ao dele.

Joel ainda ficou a vê-la partir. Não conseguia desviar o olhar. Ainda não. Seria bom tê-la nos seus braços um dia. Aquele “em breve” e a hesitação dela na despedida, davam-lhe a sensação de algo promissor.

Apanhou boleia com alguém que o esperava, enquanto ela apanhou um táxi. Passou pelas ruas luminosas da baixa, onde o seu olhar se perdia em pensamentos e nos lábios, um sorriso teimoso persistia.

Sofia, tentou viver os dias seguintes sem grande ansiedade, mas era tarefa praticamente impossível. Estava com dificuldade em concentrar-se no seu trabalho porque o seu pensamento voava para outro lado.

Decidiu ligar-lhe a dizer que aceitava fazer a tal sessão fotográfica. Marcaram para daí a uma semana. Esse telefonema foi o início de uma longa troca de mensagens e chamadas. As longas conversas foram escalando ainda mais o interesse. Foram-se conhecendo, falaram de viagem, experiências e gostos pessoais, de defeitos e manias. Ao fim de uns dias, já fantasiavam com a ideia de se encontrarem nos braços um do outro.

No fim-de-semana em que Sofia voltava ao Porto, ficaram de se encontrar no estúdio dele.


Fox + Ana Mar

segunda-feira, 7 de abril de 2014

The Train VII

O sono que julgou vir a sentir não se confirmou, ela era bela demais para causar sonolência a alguém humano. Assim fez o resto da viagem, a observar enquanto ela dormitava numa pose um pouco estranha. Lá fora, a sombra de uma paisagem indefinida corria numa velocidade louca, mas dentro da carruagem, tudo corria vagarosamente.

Quando o comboio por fim parou em Santa Apolónia, Sofia ainda dormia. Depois de lhe retirar a mala do compartimento de bagagens, colocou-lhe a mão no braço e abanou-a suavemente. Ela não demorou a abrir os belos olhos e dirigir-lhe um suave sorriso.

- Chegamos. – disse ele.

- Já? Adormeci. – respondeu ela enquanto esticava o corpo.

- Vou levar a tua mala para a gare enquanto te preparas.

Sofia levantou-se procurando livrar-se do entorpecimento que sentiu ao acordar. Pegou no resto das suas coisas e dirigiu-se para a saída. Pelo vidro, viu-o parado na estação, de cigarro aceso e com a mão numa enorme mala rosa choque. Tinha por fim terminado a viagem em conjunto. Saiu da carruagem que a levou até ali.

- Obrigada pela atenção. Parece que só te dei trabalho durante a viagem. – disse ela.

- Ora essa, não custou nada. Tive muito gosto em te conhecer, ainda que apenas por duas horas. – respondeu ele com um sorriso nos lábios.

- Bem, parece que é aqui que nos despedimos então. – disse-lhe enquanto mordia o lábio.

Ele olhou-a bem fundo nos olhos e por momentos sentiu uma tensão quase palpável. Nesse momento viu-a frágil. Hesitante.


Fox + Ana Mar

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Sign



Things aren't always what they seem...

Algumas vezes não compreendemos totalmente as situações por ausência de conhecimento da sua envolvente. Mas em algumas dessas, o destino coloca em funcionamento ações que nos iluminam o entendimento.


Fox

quinta-feira, 3 de abril de 2014

The Train VI

Se já antes tinha corado, com aquele elogio ficou mesmo vermelha. O sangue aflorou na sua pele, por norma, tão alva.
Iria mentir, se dissesse que não se tinha já imaginado como modelo de uma produção fotográfica, mas isso era só uma fantasia sem sentido. Joel tinha-lhe dito que ter uma foto dela no seu portfolio, seria certamente uma mais-valia.

- Pensa nisso e depois dá-me uma resposta. Tens aqui o meu cartão.

- Ok, vou pensar nisso. - disse ela, com o café numa mão e o cartão na outra.

- Não sei como me sairei numa situação dessas. Se fico inibida... se... - começou a sorrir com um certo embaraço.

- Só tentando... De certeza que te vais ver como nunca te viste. - disse-lhe, piscado o olho com um sorriso.

- Ganhas tu umas boas fotos e ganho eu também. Isto parece sempre um cliché de engate... mas o objectivo em relação às fotos, é estritamente profissional. - mostrou-se com um ar sério e continuou.

- Não sou eu que abordo as modelos. Normalmente, quando alguém se aproxima de pessoas que não o são, com esta conversa, há que sempre desconfiar um pouco das intenções... O que é compreensível. Afinal de contas, é alguém que não se conhece de lado nenhum. Mas pronto... vi algo especial em ti e é apenas para um trabalho meu. Espero que aceites. - pontuou a frase com a mão no seu ombro ao de leve.

Sofia ficou pensativa. A ideia agradava-lhe, principalmente por poder voltar a vê-lo. O resto, era só algo que podia ser engraçado de experimentar e ver o resultado.

Entretanto, voltaram aos seus lugares. A conversa esmoreceu um pouco. A viagem começava a torna-se cansativa e o café que tomaram, não surtiu grande efeito. Ambos relaxaram com a cabeça encostada no banco e o olhar perdia-se no seus próprios reflexos na janela.

A noite era como um manto negro. No local por onde passavam, não havia iluminação e por isso, também nada se distinguia na paisagem.

A cadência do comboio conduzia ao estado de sonolência. As suas pernas tocaram-se por acidente, quando Sofia se tentava aninhar um pouco no banco. De vez em quando fechava os olhos por momentos, enquanto ele mantinha-se entretido a observá-la discretamente.


Fox + Ana Mar

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Chart

Considerando a fraca participação na maioria dos posts, lembrei-me de verificar quais aqueles que foram mais visitados e por dedução direta, entendê-los como mais interessantes. Após essa pesquisa cheguei a uma lista, onde figura aqui um "top five".


1 - Wrong way

2 - In shock

3 - Age

4 - Our day

5 - Miss it


O que se retira deste apanhado de informação?

Que o mais badalado foi aquele em que relatei o "furo" da participação no Shiuuuu, seguido da minha desilusão com uma mulher que dessa classe pouco possui, ainda o eterno tema da idade, o dia do solteiro e por fim, a falta de um beijo.

Isto é preocupante. A linha transversal a estas cinco publicações é a solidão! Parece-me que quando escrevo sobre a solidão tenho mais probabilidade de interagir convosco. Não sei até que ponto isso é saudável.

Com a próxima participação no Shiuuuu para breve, pode ser que não demore um "Wrong way II"...


Fox

terça-feira, 1 de abril de 2014

Shiuuuu.Friend Love II



Fiquei agradado por saber que na ultima edição, pelo menos seis pessoas, encontraram um rumo para a sua condição emocional solitária. É bom constatar que o Shiuuuu não perdeu a habilidade para juntar casais.

Neste momento as candidaturas estão encerradas. Inicia-se agora o processo de seleção.

Isto significa que se alguma mulher for compatível com a minha pessoa, já lá se encontra algures. É uma ideia interessante de ser deduzida. A incógnita é apelativa...

Resta esperar.


Fox