quinta-feira, 3 de abril de 2014

The Train VI

Se já antes tinha corado, com aquele elogio ficou mesmo vermelha. O sangue aflorou na sua pele, por norma, tão alva.
Iria mentir, se dissesse que não se tinha já imaginado como modelo de uma produção fotográfica, mas isso era só uma fantasia sem sentido. Joel tinha-lhe dito que ter uma foto dela no seu portfolio, seria certamente uma mais-valia.

- Pensa nisso e depois dá-me uma resposta. Tens aqui o meu cartão.

- Ok, vou pensar nisso. - disse ela, com o café numa mão e o cartão na outra.

- Não sei como me sairei numa situação dessas. Se fico inibida... se... - começou a sorrir com um certo embaraço.

- Só tentando... De certeza que te vais ver como nunca te viste. - disse-lhe, piscado o olho com um sorriso.

- Ganhas tu umas boas fotos e ganho eu também. Isto parece sempre um cliché de engate... mas o objectivo em relação às fotos, é estritamente profissional. - mostrou-se com um ar sério e continuou.

- Não sou eu que abordo as modelos. Normalmente, quando alguém se aproxima de pessoas que não o são, com esta conversa, há que sempre desconfiar um pouco das intenções... O que é compreensível. Afinal de contas, é alguém que não se conhece de lado nenhum. Mas pronto... vi algo especial em ti e é apenas para um trabalho meu. Espero que aceites. - pontuou a frase com a mão no seu ombro ao de leve.

Sofia ficou pensativa. A ideia agradava-lhe, principalmente por poder voltar a vê-lo. O resto, era só algo que podia ser engraçado de experimentar e ver o resultado.

Entretanto, voltaram aos seus lugares. A conversa esmoreceu um pouco. A viagem começava a torna-se cansativa e o café que tomaram, não surtiu grande efeito. Ambos relaxaram com a cabeça encostada no banco e o olhar perdia-se no seus próprios reflexos na janela.

A noite era como um manto negro. No local por onde passavam, não havia iluminação e por isso, também nada se distinguia na paisagem.

A cadência do comboio conduzia ao estado de sonolência. As suas pernas tocaram-se por acidente, quando Sofia se tentava aninhar um pouco no banco. De vez em quando fechava os olhos por momentos, enquanto ele mantinha-se entretido a observá-la discretamente.


Fox + Ana Mar

Sem comentários:

Enviar um comentário