sexta-feira, 15 de julho de 2016

Restart III




Ajustou o vestido, puxou as mamas para cima, arranjou o cabelo e seguiu-o, caminhando com um porte gracioso. O vizinho do 4D já estava a deitar o saco para dentro de um dos contentores quando ela entrou e fechou a porta atrás de si. O ambiente daquela divisão era sombrio e o ar que lá dentro se respirava era fétido, criando uma sensação quase claustrofóbica. Ela sentiu a temperatura subir bastante assim que entrou.

Ele virou-se e olhou-a com um ar de genuína incógnita, perguntando-se por que razão ela o teria seguido até ali.

- Qual é a forma mais antiga do mundo para solucionar problemas? – Disse ela com bastante calma, ostentando um sorriso de enorme desafio.

A cara dele era um misto de espanto e volatilidade. Deu dois passos na sua direção e ficou apenas à distância de um sopro. Tocou-lhe nas mamas e disse com um rosto indecifrável:

- Ora, é esta.

Ela mordeu o lábio e deu-lhe um empurrão. Ele ficou enfurecido com o seu gesto e cerrou os punhos. Os seus olhos cruzaram-se com a mesma fogosidade de um sol ardente. Ela ultrapassou a distância que os afastava e atirou-se aos seus lábios com um desejo animal. Ele libertou o apetite que trazia acumulado e beijou-a com uma agressividade quase violenta. Foi o início de uma batalha de egos exacerbados pela descoberta daquele que dominava mais.

Empurrões, arranhadelas, apertos, tudo valia para mostrar o desejo que ambos sentiam a explodir no seu interior. Ele enterrou a cara entre as mamas e lambeu-lhe a pele com clara ausência de um sentido de oportunidade. A sua falta de habilidade era notória, tinha garra mas não tinha a experiência. Ela sentiu-se desiludida. Agarrou-lhe o cabelo e empurrou-lhe a cabeça para baixo. Estava na hora de mostrar quem mandava.

- Para baixo. - Disse ela com voz autoritária.

Ele obedeceu e colocou-se de joelhos. Ela subiu o vestido e revelou as suas voluptuosas pernas com as meias de ligas. Vê-la sem roupa interior deixou-o ainda mais empolgado. De mão firmemente presa no seu cabelo, ela guiou-o para onde o desejava sentir. Ele compreendeu a mensagem e usou a língua como era suposto. A delicadeza não era nenhuma mas esta dececionante surpresa trazia-lhe uma nova experiência.


Fox

4 comentários:

  1. Ela vai instruí-lo na infinitamente deliciosa arte do sexo. Interessante... Seguramente diferente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. It's up to you!
      Surpreende-me... ;)

      Eliminar
    2. Se eu encontrar a inspiração perdida talvez consiga. ;)

      Eliminar