quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Ink VI


Mais uma etapa que se completa. 

Pouco a pouco, o "quadro" vai ganhando vida. Já não parece o que é, sendo mais do que aquilo que parece. É um enredo que se constrói e que conta uma história. A minha.

Agora é momento de se começar a preparar o que virá de seguida...


Fox

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Dirty City II




Para conseguir fugir de alguns dos problemas que já teve na vida, foi necessário se manter completamente espartano, inclusive nas relações que estabelece com os outros. O seu jogo é o da sobrevivência, e para o conseguir, apenas precisa de se alimentar e dormir umas horas durante a noite, não necessita de estabelecer laços. Um qualquer local que o abrigue da chuva e do frio, passa a ser para ele um sumptuoso palácio a que chama de seu. E desses não faltam. Desde que a cidade começou a entrar em declínio com a crise na bolsa, muitos foram os que a abandonaram. Agora, o esplendor de outrora está a apodrecer e a criar durante esse processo, uma imensidão de locais desamparados. Sente-se em cada esquina, o aroma da solidão e da derrota.

O seu dia-a-dia é passado na procura ou realização de um qualquer ofício que lhe faça ganhar a vida. Muito mudou na sociedade mas ainda existe a necessidade de ter algo para usar como moeda de troca. Inúmeras foram as suas ocupações nos seus parcos vinte e três anos de vida. Ou serão vinte e cinco? Ele não tem certeza, pois já não os conta agora. Deixou de o fazer pela mesma altura em que se apercebeu não ser um dia tão especial quanto outrora julgou. Afinal era apenas mais um dia, um em que ninguém se lembrava dele. E isso de alguma forma magoava. Por isso deixou de os contar. Contar magoa.

Nos últimos meses tem ocupado o seu tempo como mecânico. Quer dizer, não teve instrução de nenhuma ordem, por isso não pode envergar esse título, mas faz o que lhe mandam e por vezes mexe nos motores, tal como vê o patrão a fazer. Douglas parece ser um bom profissional e um homem que não lhe trará problemas. Não lhe colocou questões acerca de si ou do seu passado, apenas lhe deu a oportunidade de provar que consegue trabalhar. E ele consegue fazê-lo, arduamente. É tudo o que Kurt precisa neste momento, de uma forma de sustento e de poucas perguntas.

Fox

sábado, 27 de agosto de 2016

Old Time




Que tempo vil e decrépito é este em que recebi o privilégio do sopro de vida? 

Obscuro momento de uma civilização moribunda de sentimentos e corrompida de princípios. A génese da evolução que muito dignifica quem enverga orgulhosamente o título de desenvolvido, repousa sobre uma trindade fútil e influenciadora de comportamentos sub-humanos. Dinheiro, poder e sexo. 

Elementos procurados singularmente, ou sob a forma de obscuras combinações que garantem nada mais que o sacrifício do corpo e a corrupção da alma. Na sua procura, perde-se a verdadeira essência da força motriz que devia iluminar e guiar o nosso espírito, rumo a um estado superior de existência. O bem superior é e será somente um, a felicidade. Elemento superior, pelo qual tudo mais se faz, não representando um meio para um fim, mas sendo em si mesmo um fim. O único.

Desperto diariamente do repouso, de olhos abertos mas sem repousar da saturação que envolve aquele que inspira este ar putrefacto. Os outros, muitos mais do que imensos, despertam de olhos mais cerrados do que aquele que descansa durante a escura e fria noite que o abraça. Perdidos nesta ilusão instantânea e vazia, ocupam os irrecuperáveis segundos que lhes foram atribuídos a angariar riquezas mundanas que nunca poderão possuir. 

Aquilo que não pode ser fundido com o nosso próprio ser nunca é verdadeiramente nosso, pois será sempre pertença do mundo. Aquele que inevitavelmente deixaremos quando por fim, chegar a hora em que se apague a chama que nos ilumina o ser.

Se nada mais eu tiver do que aquilo que sou, serei rico sem dinheiro e serei poderoso sem poder, mas serei fiel à minha pessoa e à natureza que me anima o corpo. 

Serei eu e somente eu.


Fox

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Gym report III


Dois meses de treino e um incremento de 2kgs de massa muscular. 

51kgs de massa muscular.

13% de massa gorda.

As principais alterações ocorreram no peito e no abdominal.


Fox

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Millions



Segundo as previsões, teremos essencialmente uma genetic pool composta por asiáticos, americanos e africanos...
Duas super potências e um joguete. Receita segura para um Apocalipse nuclear.

A bem dizer acaba por ser justamente o que se necessita para equilibrar a balança em termos de vidas humanas. O nosso planeta não tem capacidade para suportar a presente população, muito menos a que se prevê para 2053. Mais cedo ou mais tarde, estaremos a braços com um cenário típico das muitas séries que nos ocupam os serões. Catástrofe.

Já formularam um pensamento acerca deste assunto?


Fox

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Music everywhere XXII


Insomnium - Weather The Storm

Cast down into the darkness
To stumble towards unknown
Only emptiness to hold on to
Only shadows to seek support from

So arm your heart with self-worth
Yet prepare for sorrow and pain
Don't let the fear eat you from inside
Wear your weaknesses with pride

And even if you crush my body
And drain it till the last drop
You can never touch my spirit
You can never touch my soul

No matter how bleak or how hopeless
No matter how hard or how far
You can never break my conation
Tear the will apart from desire

Thrown down into the flames
Enfolded by ash and ember
Quenched in scorching fire
Hardened in undying flare

Through demise and disaster
Past the flames of the end
Rise above even stronger
Disown the past or the present

Don't be guided by fear of failure
It's now or never
Just give it all in


Fox

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Flame




Conhecem aquela sensação que vos assalta violentamente durante um instante, quando vêem algo que vos toca profundamente e de forma silenciosa mas continuam como se nada fosse? 

O único sinal que vos denuncia é o vosso olhar que perde a chama que possui. 

Penso que sou o único que se está a esforçar.


Fox

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Theory



Ao que vejo acontecer, começo a desenvolver uma teoria de que os bad boys acabam por ter várias mulheres ao longo da vida, por culpa das próprias mulheres. Sim, pensam que não faz sentido? Reparem bem...

Os bad boys possuem carateristicas naturais que deslumbram a maioria das mulheres, mas de alguma forma, também as deixam inseguras quanto ao futuro. Não sei por que razão elas sentem essa insegurança mas é algo que se encontra bem presente em qualquer sociedade. Isto leva a que na grande maioria das vezes, as mulheres prefiram uma escolha menos arriscada e acabem por criar e manter uma relação com um "tótó". 

Mesmo que o bad boy abra a sua armadura e mostre todo o seu esplendor perante aquela que o encante, isso parece nunca ser suficiente. Não lhe permite ultrapassar o enorme receio que as mulheres apresentam em ignorar o tal receio do risco emocionante que um homem assim implica...

Assim, os bad boys são encostados para canto, apesar das suas enormes valias, levando-os a ficar revoltados pela desconsideração e frustrados pela exposição emocional, decidindo erradicar qualquer hipótese de abertura.

Resultado? O bad boy fecha completamente a armadura e passa a fazer aquilo pelo qual é rotulado: sexo.


Fox

sábado, 20 de agosto de 2016

Effort



Eu tenho feito um enorme esforço.

Bem maior do que alguma vez aconselhei ou pensei vir a fazer em situações similares. Agora começam a falhar-me as energias e as opções. Por mais vontade que eu possa ter, não sei se conseguirei perpetuar o meu equilíbrio neste instável limbo.

Desperdiçar uma oportunidade destas... Enfim.


Fox


sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Dirty City





A cidade é suja, escura, violenta. 
Um local onde apenas os mais fortes sobrevivem e os mais fracos são facilmente subjugados e calcados pela própria circunstância da vida. Entre ruas e becos, ele deambula em busca de algo, mas sem saber bem do quê. Na maioria das vezes encontra problemas, mas esses nunca lhe meteram medo. A vida tornou-o forte desde tenra idade, quando aprendeu a viver nas ruas e das ruas, defendendo-se de todos aqueles que o queriam tornar num fraco. Mas a ele não conseguem. Nunca se deu ou dará como fraco. É um dos fortes, é superior, é branco. 

Independentemente da parte da cidade em que esteja, Kurt sente-se sempre sozinho. Sempre se sentiu assim. Talvez seja por isso mesmo que a sua personalidade se desenvolveu fechada, violenta, ensombrada por demónios que à noite o afligem. O passado não foi fácil para ele, mas não pensa nisso. Tenta não pensar nisso. Fica perturbado quando pensa nisso, e regra geral, algo de mau acontece quando se lembra desses tempos.

Cabelo rapado, barba hirsuta, roupa escura, botas de estilo militar, tatuagens tribais sobre a pele, semblante carregado, porte seguro e altivo, são aspetos capazes de caracterizar exteriormente Kurt. Pelo menos à primeira vista, são os elementos suficientes para um vulgar cidadão o julgar e prontamente se desviar do seu caminho. O seu rótulo tem apenas uma palavra escrita: problemas.

Desta celebre capacidade do humano em desenvolver preconceitos acerca de terceiros, resultam sempre olhares depreciativos e comentários sibilados entre dentes. Ele não valoriza questões mesquinhas, uma vez que já está habituado a esses julgamentos sumários e ignora-os. Tornou-se bastante bom a relativizar e ignorar tudo o que o rodeia para evitar chatices. Menos quando os problemas o perseguem, nesse caso, enfrenta-os. Uma das regras do seu código: nunca levar problemas para “casa”.

Na realidade, Kurt não tem casa. Não tem aconchego, não tem conforto, não tem proteção, em vez disso, ocupa um armazém abandonado. Nesse espaço desprezado, solitário e escuro, ele tenta criar uma ilusão de casa. Pelo menos até a polícia vir e expulsá-lo, tal como aconteceu diversas outras vezes, em diversos outros locais, em diversas outras cidades. Porém, a resiliência é uma característica que o assiste e se for corrido dali, procura um outro local e começa de tudo de novo. Para quem nada possui, não é muito difícil largar tudo e começar de novo noutro sítio.

Seria pior se existisse alguém mas Kurt não tem laços estabelecidos com nada nem com ninguém, nunca teve. Pelo menos não se lembra de ter tido, por isso, pode partir a qualquer instante sem pensar duas vezes. A única bagagem que transporta é aquela que o assombra de noite quando fecha os olhos para dormir.


Fox

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Ink V



Este dispensa qualquer apresentação...

Talvez seja um dos elementos mais tatuados de sempre nos corpos daqueles que apreciam a tatuagem japonesa. Símbolo de poder, persistência e determinação.

Penso que virá finalizar em pleno, a primeira fase do meu projeto.


Fox

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Restart IV




Enquanto ele a lambia, ela percorria o seu memorial de experiências sexuais. Não encontrou nenhuma comparação humanamente possível. Pareceu-lhe ser este, o mais próximo que ela algum dia imaginou estar de um canídeo, em termos sexuais. A coordenação e habilidade em utilizar a língua, aliás, a falta delas, deveria ser perfeitamente comparável, assim como a aparente impossibilidade de se cansar de a usar. No princípio pareceu bastante estranho mas depois de ser lambida em todos os cantos, ela estava a ficar verdadeiramente excitada. Rapidamente se ouviu a arfar.

Deu-lhe um forte puxão no cabelo e puxou-o para cima. Ele dirigiu-se imediatamente à sua boca. Os seus lábios carnudos eram puramente irresistíveis. As suas línguas dançaram juntas e separadas, num contato algo tosco. Ela sabia bem o que fazia. Ele não. Já era tarde demais para parar, para o bem ou para o mal, teria de ir até ao fim. Mas também não adiantava de muito alongar a experiência. Procurou-o com a mão e sentiu-o duro. Bem duro. Sorriu.

Encostou gentilmente os lábios à sua orelha e sussurrou-lhe:

- Vá, possui-me forte e feio! Prometo que aguento...

Rodou o corpo, baixou-se, colocou-se de quatro no chão e aguardou com expetativa.

Ao ver aquele rabo empinado e a enorme quantidade de lubrificação que lhe corria pelas pernas, o seu instinto fê-lo ficar louco de desejo. Só lhe faltava uivar… Desapertou o cinto, baixou as calças, colocou-se de joelhos e penetrou-a com uma brutalidade anormal. Ela acusou o desconforto do gesto animalesco mas não se queixou. Começava a gostar de sentir a dor. 

Ele agarrou-a firmemente pelas ancas e iniciou um ciclo vigoroso e agressivo. A cada investida, as suas unhas deixavam marcas na pele morena e propagava-se uma batida seca, seguida de um gemido.

Era notória a sua falta de destreza mas a forma rude com que ele a tratava deixava-a verdadeiramente excitada. A sua respiração começou a ficar cada vez mais pesada e as sensações que lhe percorriam o corpo eram deliciosas. Tinha a pele arrepiada e sentia-se maravilhada com aquela agressividade. Melhor sensação do que a que estava a sentir, só se recebesse umas palmadas no rabo.

- Bate-me!

- O quê?!

- BATE-ME! – Gritou ela com autoridade na voz.

Era tarde demais. Ele desconcentrou-se e não se conseguiu controlar. Se é que o sabia fazer de todo. Soltou um gemido que se pareceu com um uivo. Veio-se dentro dela. Ela sentiu o líquido quente e pegajoso a escorrer, assim que ele saiu de dentro dela. Havia algo naquele contato distante e animalesco que lhe despertava um fogo incontrolável. Sorriu.

Ele sentou-se, encostou-se ao contentor do lixo e procurou recuperar a respiração. Ela levantou-se, sacudiu as mãos, ajeitou o vestido e saiu. Ele chamou-a e esticou o braço para a agarrar. Ela ignorou o gesto e seguiu. Dirigiu-se ao elevador. O seu caminhar era novamente confiante e decidido. Sorria.

Agora sabia o que lhe faltava. O vizinho do 4D tinha-lhe mostrado. Ele não tinha a experiência que ela necessitava mas certamente alguém a teria…

Fox

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Music everywhere XXI


In Flames - Everything´s gone

Where I have nothing
Fearless and whole
Find out what you are
Back in time

No
I won't
I need this
Truth is...

Once you had enough
Break out
Room to breathe
To love
Before you're gone

I'm the one
Who brought the mountain down
Tore it piece by piece... Down
Everything's gone

Where I have nothing
There's no hate
Room to breathe
No envy and nothing to lose


Fox

sábado, 13 de agosto de 2016

Fire II



Não é preciso dizer nada. 

Tenho um enorme orgulho em todos vós.

Bem hajam!


Fox

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Gym report II



Em tempo de férias... faz-se ainda mais exercício! 

Todos os dias às 8h da manhã tenho o ginásio só para mim (praticamente).

Estava com uma enorme dúvida acerca do "roi" nesta situação, por isso, nada melhor do que experimentar. Pensei que me fosse deixar mais desgastado mas tenho-me sentido bastante bem.

Na próxima avaliação física já vou conseguir aferir se o sacrifício teve resultados significativos.


Fox

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Music everywhere XX


August Burns Red - Ghosts

"We are the ghosts of the midway, the beasts of the alley
We are the living dead, living in your nightmares
Scraping ourselves from the earth
Living as though we are dirt
Staring like you’ve seen a ghost
The lowest of the low with nowhere to go

Back from the dead, now we’re groveling at your feet
Handcuffed for lying our heads as we’re withering in the streets
Back from the dead, now we’re groveling at your feet
Handcuffed for lying our heads as we’re withering in the streets

Fighting for your attention, begging for your generosity
Looking up just to see you turn your cheek on me
You walk on by like I’m invisible (Invisible)
All I want is to be seen as an equal

We fought your battles, and we built your homes
Sorry if I disturbed you
I just wish we could live like you do

Even in our most beautiful days it’s dark
Just look at the world around you
There’s a consequence for what we do
Pass judgment on me as you walk
Picture perfect ain’t my obsession
You can’t sum up my life from a first impression
Learn your lesson

Act like you know me, but do you even know yourself?
When you got nothin’, you got nothin’ to lose
Act like you know me, but do you even know yourself?
When you got nothin’, you got nothin’ to lose

I may have no one else to blame, but listen to me
You and I, we were once the same
I may have no one else to blame, but listen to me
You and I, we were once the same
I may have no one else to blame, but listen to me
You and I, we were once the same
I may have no one else to blame, but listen to me
You and I, we were once the same"


Fox

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Serenity



Serenidade.

É desta forma que me sinto. Sereno. 

Como uma ligeira brisa que se propaga por um vale luxuriosamente esverdeado, fazendo esvoaçar uma pequena folha que se soltou de uma das majestosas árvores. Nesse instante, tudo respira calma e tranquilidade, atingindo-se um equilíbrio simples e perfeito.

Será sempre na simplicidade que residirá a mais singela beleza desta existência.


Fox

domingo, 7 de agosto de 2016

Curve Report I




Depois de 10 horas de passeio e 205,8kms percorridos, a wolfpack retornou à toca.

Sabe deliciosamente bem sair com os rapazes e percorrer as estradas deste tão belo país. Sabe também muito bem, ser o constante alvo de atenção e comentários por onde passamos. 

Que podemos fazer? Três homens fabulosos, a montar três motas fabulosas, só podia resultar num cenário desses.

Mas a viagem fez-me sofrer um pouco, pelo ardor que senti na tatuagem e pelo enorme calor que se fez sentir (eu em full leather suit), ainda assim, quem corre por gosto não cansa.

Venha a próxima.


Fox

sábado, 6 de agosto de 2016

Ink IV



E assim se continua a epopeia...

Estou deveras encantado com o estilo japonês.


Fox

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Curve II



Os primeiros itinerários já estão prontos, venha o dia de sair para o asfalto...


Fox