segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Dirty City V




Frio espalha-se pelo seu estômago, calor sobe-lhe pelos membros, os olhos ficam vítreos, a mente rapidamente fica turva e negra. Ele sente o que aí vem e já sabe que não será bonito. Nunca o é. Abre o fecho do casaco e atira-o para cima de uns caixotes de lixo. Não precisa de se proteger do frio e muita roupa atrapalha o que aí vem. Caminha calma e decididamente em direção aos dois indivíduos, escutando a cacofonia de gritos que ecoam pelo beco e os sons de roupa a ser rasgada. Estalam-lhe a mente como se fosse feita de vidro. Ele só quer que pare.

Entretidos na sua ocupação, os dois rufias não se apercebem da sua presença até já estar sobre o pescoço do primeiro. Agarrando-o num poderoso movimento de mata-leão, afastou-o de perto da mulher que se debatia debilmente com mãos e pernas perante os seus agressores. O movimento causou espanto em ambos, que não haviam dado pela sua chegada.

- Grrrrr. Mas… Larga-me! – Grita desesperado, já a sentir o ar a escassear.

- Ei! Larga-o. Também queres um pouco disto é? Junta-te a nós. Ela chega para todos. – Diz o mais pequeno dos dois com um sinistro sorriso na cara.

Os olhos de Kurt estão escuros, vítreos e focados no rufia que se mantém na sua frente, enquanto aperta inexoravelmente o pescoço daquele que se encontra capturado na sua chave de braços. O seu rosto não exprime qualquer emoção. Debatendo-se contra o aperto que lhe rouba o ar dos pulmões, tenta em vão arranhar os braços de Kurt que não cedem um milímetro. A falta de oxigénio no cérebro leva-o a ficar rapidamente inconsciente e é atirado para o chão. Vendo a aflição do colega, o segundo rufia corre para Kurt com uma faca em riste e pronto a atacar, mas é recebido com um forte pontapé em pleno peito que o atira ao chão. Kurt afasta faça para longe com um pontapé. Sente a adrenalina a aumentar cada vez mais e salta sobre o rufia caído no chão disferindo soco atrás de soco, até a cara não parecer mais do que um enorme borrão escarlate.


Fox

6 comentários: