quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Sex IV



A sedução é negra. E mais negros somos nós.

Na claridade de um dia radioso, a luz trespassa o vidro e enche o quarto com vida. Sentas-te na cadeira, de perna cruzada e aguardas pacientemente que eu acorde.

A paciência é a arma dos determinados e a sua recompensa é sorvida com relegado deleite.

À primeira contração da pupila, descruzas  as pernas e permaneces segura e determinada. Queres pedir sem pedir aquilo que já pediste.

Levanto-me, nu e decidido. Não fui eu quem acordou, foi ele. Agarro-te o pescoço com a determinação violenta que me despertas com um olhar. Beijo-te uns lábios quentes e suculentos. Ajoelho-me.

A sedução é negra. E mais negros somos nós.


Fox

6 comentários:

  1. Oh, sim. A sedução é negra, sinuosa, febril. É fêmea perversa e caprichosa, crua.
    Se o não fosse, ajoelhavas-te? (Tenho a certeza que não.)

    ResponderEliminar
  2. Sim, existe sempre quem mereça essa aparente submissão, que o não é.
    É, sim, gesto de poder e magnificência, de quem privilegia o outro e o coloca em um patamar apenas reservado aos escolhidos.

    ResponderEliminar