segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Behind


Muitos de nós possuem blogs há vários anos. 

As razões que aqui nos trouxeram podem ser múltiplas e variadas, ainda assim, penso que em muitos dos casos, estas acabem por ser similares. Precisávamos de libertar palavras aprisionadas, exorcizar demónios, pedir ajuda sem ter de a pedir. Assim, construímos uma identidade, um alter-ego despido dos elementos físicos que nos caraterizam na sociedade e começamos a escrever.

E escrevemos, escrevemos, escrevemos até se tornar uma rotina, um alívio, um ritual que nos completa. Os que a dada altura não terminam com este espaço virtual, passam a possuir duas realidades, duas identidades, não sabendo bem como conjugar as duas. Acaba por ser algo que fica em segredo, não sendo em si mesmo um segredo. Na maioria das situações não é nada que suscite problemas mas em algumas pode vir a ser.

Como é que lidamos com esta situação quando conhecemos alguém? Nem sequer sabemos se algo irá resultar, por que razão havíamos de revelar segredos? Mas quando as coisas resultam, acaba por nos vir à mente. E nesse momento o que se faz?

Esta é que é a questão. Somente quem teve necessidade imperiosa de se tornar blogger é que compreende o que a dado momento aqui nos trouxe. Explicar isso a alguém que não tenha passado por algo assim é praticamente impossível. Essa pessoa pode simplesmente não conseguir/desejar compreender que a pessoa que tem à frente possui bagagem, como será sempre de esperar de um adulto.

Como é que vocês lidam com esta questão? Expõem o vosso alter-ego? Ou permanece em segredo?

Por natureza, esta publicação será destinada a todas as que possuam blog, todavia, mesmo as que não o possuam, não se inibam de dar a vossa opinião.


Fox

11 comentários:

  1. É uma questão complicada... Eu não escondo que tenho um blogue, mas prefiro que não se saiba qual é. Acho que isso limita muito o que escrevemos e a nossa liberdade. Já estive numa relação em que ele sabia do blogue, e isso limitava-me tremendamente. A pessoa em questão não era fácil e foram muitas as discussões por causa disso. Hoje em dia, acho que prefiro mesmo que não saibam. Sobretudo, porque muito do que eu escrevo são meros devaneios, nem sempre reais, raramente com sentido. O meu blogue é uma parte de mim muito minha, que pouca ou nenhuma gente tem capacidade para perceber verdadeiramente. Mais vale deixar em segredo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tocaste num ponto interessante, a limitação. Deve ser tremendamente complexo escrever sabendo que a outra pessoa o vai ler. Ainda pior será ter de explicar o que foi escrito...

      Concordo plenamente, Agridoce. Alguns assuntos são só nossos, não pela importância que possuem mas sim pelo que nos representam.

      Eliminar
  2. Ora vamos lá tentar responder...

    Ontem apercebi-me que o meu blog faz 4 anos para o próximo mês. Quando o criei foi uma forma de desabafar, de libertar pensamentos, e nunca senti necessidade de o partilhar, de dizer que tinha aquele "diário", até conhecer o moçoilo. O blog faz parte da minha vida, é onde por vezes desabafo coisas que me custam a falar, seja com quem for, e senti que ele tinha o direito de conhecer esse lado.
    Sei que o leu todo, desde o início. Nunca me fez grandes perguntas sobre o que escrevi, porque o fiz ou senti necessidade de o fazer. Há todo um passado que existe, até extra blog, que foi falado entre ambos. Todos temos de saber lidar com os passados uns dos outros, tendo blog o passado está escrito, apenas isso...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora que falas nisso, este também faz. Estão os dois de parabéns. ;)

      Sentes alguma limitação no que escreves por saber que ele o vai ler? Aproveitas para lhe mandar algum "recado" por esta via?

      Eliminar
    2. Não sinto limitação em escrever. Se sentisse não fazia sentido ter o blog ou então partilhar com ele.
      Não mando recado nenhum via blog; posso expressar-me mais facilmente lá, quando estou triste, chateada ou contente, mas nunca mandar recados..escrevo para mim essencialmente.

      Eliminar
    3. Talvez tal seja possível por teres uma pessoa que o compreende ou não se chegue a preocupar com isso. Ainda bem. ;)

      Eliminar
  3. hum... a pergunta que todos nos fazemos!!
    pessoalmente, eu nao ando para ai a gritar aos 7ventos que tenho um blog... mas tambem nao o escondo...
    o blog faz parte de mim... quem descobrir(amigos/familia..) este blog tem que aceita-lo como parte de mim.. gosta gosta... nap gosta temos pena...
    é certo que por vezes saber que uma certa pessoa sabe deste blog pode me fazer pensar duas vezes que escrevo ou nao tal sujeito... mas ao fim o sujeito acaba sempre la..
    este blog é o que me faz libertar tds as emoçoes que as pessoas em meu redor nao querem saber/conhecer...
    a meu ver as pessoas tem que me aceitar como sou (o tempo e os desafios me mostraram mais vale ter poucas pessoas em nosso redor, mas ao menos essas pessoas nos aceitam a 100%).. e este blog faz parte de mim (agr pareci um pouco autoritaria e intransigeante, nao?)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo. Penso que estás a pensar corretamente. ;)
      Parece-me que estamos mais ou menos todos alinhados na mesma posição. O blog é um elemento que passa a fazer parte da nossa vida e que só a nós diz respeito. Deve ser mantido em segredo, dentro do possível, caso alguém o descubra, essa pessoa deve procurar entender a razão da sua existência. Se não a entender, "temos pena".

      Eliminar
  4. Faço minhas as palavras da lua perdida! Sem tirar nem por! O blog não nos caracteriza como um todo, mas é uma parte de nós! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos decididamente todos alinhados na nossa opinião.

      É o nosso espaço, somos nós, são os leitores, enfim, um aglomerado de elementos de relevo nas nossas vidas.

      Eliminar