quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Sex VI



Moves-te até à cadeira com a graciosidade de um felino. Debruças-te sobre o seu espaldar e aguardas que repare em ti. Olhas por cima do ombro e trincas o lábio. O teu olhar cerra-se sobre mim.

Encostado à porta, sorrio aquele sorriso. Aquele que te dispara um arrepio que te percorre a espinha e eriça a pele.

Mostras-me a língua com que lambes os lábios. Cada fibra do teu corpo clama por mim. Mesmo antes de te tocar, já a tua mente divaga com a sensação de calor que esse momento te provoca.

Aproximo-me de ti com a calma de quem controla o tempo. Trinco-te o lábio sem qualquer pudor. Ergo a mão e deixo-a cair pesada sobre a tua nádega. Tremes.


Fox

12 comentários:

  1. Ui, Fox, dares-me estas imagens mentais logo de manhã!... You bad boy! Quase senti a palmada...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Fox, a contribuir para a eficiência laboral desde 2012.;)

      Eliminar
  2. Estes teus textos são sempre assim...intensos ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para textos esmorecidos já muitos abundam no nosso dia-a-dia. Penso que o que nos faz falta são assuntos intensos...

      Eliminar
    2. Claro que sim!
      Venham eles que estou cá para os ler! ;)

      Eliminar
  3. Tremi e não foi nada comigo! ahahah ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será esta uma representação que te diga algo?

      Eliminar
    2. Diz-me pela intensidade, pela imagem (quase) real que cria na minha mente e corpo. Eu sou das "coisas" intensas. Detesto meios termos. :)

      Eliminar
    3. Mas este "género" de "coisas" nunca pode ser menos que intenso. Ou pode?

      Eliminar
    4. Na minha vida, não. Mas conheço que na vida de muitos o é.

      Eliminar
    5. Pobres daqueles que não aproveitam estes momentos para libertar o animal que dentro de si encerram.

      Eliminar