sexta-feira, 5 de maio de 2017

Music everywhere XXXV


Balada de Despedida 1999

Na maré de capas negras
Nesta Sé de penas
Se agitam as fitas
Em ondas amenas

Onde reina a côr
Que pinta orações
E se cala a dor
Que há nos corações

Benze-me a capa Senhor
Peço por favor...
Conserva-lhe a história
Dos anos em flôr

A flôr que eu perdi
Mal a encontrei
Penso dessa vida
SENHOR...sonhei

Dessa flôr, que é meu luto
Nascerá o fruto
De uma côr serena
E o mais doce gosto

Gosto da saudade
Com que eu fiquei
Do Porto cidade
Meu escravo e rei


Fox

4 comentários:

  1. https://youtu.be/XdGlFHJiTrA

    Balada da Despedida

    Coimbra tem mais encanto
    Na hora da despedida.

    Que as lágrimas do meu pranto
    São a luz que lhe dá vida.

    Coimbra tem mais encanto
    Na hora da despedida.

    Quem me dera estar contente
    Enganar minha dor
    Mas a saudade não mente
    Se é verdadeiro o amor.

    Coimbra tem mais encanto
    Na hora da despedida.

    Não me tentes enganar
    Com a tua formosura
    Que para além do luar
    Há sempre uma noite escura.

    Coimbra tem mais encanto
    Na hora da despedida.

    Que as lágrimas do meu pranto
    São a luz que lhe dá vida.

    Coimbra tem mais encanto
    Na hora da despedida.

    Coimbra tem mais encanto
    Na hora da despedida.

    Composição: Fernando Machado Soares

    ResponderEliminar
  2. Sempre que oiço uma tuna ainda me arrepio.
    Que saudade do tempo universitário...😕
    Marta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A quem o dizes.
      É já amanhã, podes ir arrepiar-te mais um pouco. ;)

      Eliminar